Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Publicidade
Luciana Camargo Vice-Presidente Global de Sucessão e Desenvolvimento de Executivos da IBM
Até 2022, ao menos 54% dos profissionais deverão ser "requalificados". Mas se reinventar é mais do que aprender novas habilidades.
As equipes têm pessoas que nasceram em um mundo analógico e outras que já são digitais; as crianças ocuparão profissões que ainda não existem; e os profissionais que existem hoje vão ser substituídos por robôs. Como a liderança pode inspirar os times a abraçarem o futuro?
Inovar é mais que só investir em tecnologia. É olhar para os problemas e encará-los como oportunidades.
O novo líder deve conhecer o modelo de negócio, entender para onde a empresa está indo e estar disposto a aprender.
A forma como as pessoas se sentem e se comportam nas organizações são o que guiam o crescimento de uma organização.
Apesar das dificuldades, o ano passado trouxe aprendizados valiosos para o mundo do trabalho.
Luciana Camargo, executiva da IBM, convida os líderes a refletirem sobre o seu papel na jornada de diversidade e inclusão das organizações
Por que abraçar as mudanças trazidas pela pandemia de coronavírus é importante para o desenvolvimento profissional
Por que a tecnologia pode ajudar nos cuidados com a saúde mental
O people analytics na gestão de pessoas ajuda o RH a construir times mais abertos para novos caminhos
Publicidade