Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Coach de CEOs ensina tática de 2 minutos para quebrar maus hábitos

Sabina Nawaz, em artigo na revista Harvard Business Review, explica uma técnica simples para quem quer mudar hábitos

Por Suria Barbosa, do Na Prática Atualizado em 3 abr 2020, 08h55 - Publicado em 3 abr 2020, 08h23

É comum que a animação do começo de uma trajetória rumo a uma nova meta (ou hábito) de energia o bastante para os primeiros passos. Mas o tempo passa e o quesito “novidade” desaparece, assim como todo o entusiasmo do início até que se perca de vista, enfim, o próprio objetivo.

“Não importa quão sofisticadas sejam suas estratégias para se livrar de maus hábitos e criar bons, você terá menos chances de sucesso se não acompanhar e revisar seu progresso com frequência”, explica a coach global de CEOs Sabina Nawaz, em artigo na revista Harvard Business Review.

Segundo a especialista, observar o progresso é uma das coisas que realmente incentiva e previne a desistência. Além disso, ajuda a notar seus padrões de comportamento e detectar os ajustes necessários, por mais sutis que sejam.

Com base nessas premissas, Nawaz idealizou um método baseado em uma tabela para criar novos hábitos, que ela testou com seus clientes – um deles, um chefe de gabinete para um CEO em uma startup de tecnologia, Yi-Min.

Pequenos (primeiros) passos

De acordo com feedback negativo de colegas, Yi-Min decidiu em três metas para tentar alcançar com ajuda do coaching de Nawaz. A primeira, “ouvir melhor”; em segundo, “‘microadministrar’ (micromanage) menos”; e, por fim, “valorizar mais o tempo dos outros”.

A seleção de objetivos de Yi-Min era ambiciosa e pouco mensurável, então seu próximo passo foi definir tarefas que pudessem ser acompanhadas. A principal recomendação da coach era de que ele escolhesse uma pequena atribuição para cada objetivo. “Assumir grandes tarefas, ou muitas tarefas ao mesmo tempo, nos sobrecarrega”, explica Nawaz.

  • Exemplo de micro-tarefas Yi-Min

    • “Ouvir melhor”: participar de uma reunião por dia sem dispositivos.
    • Micromanage menos”. usar técnica de discagem de delegação durante reuniões individuais com sua equipe para diminuir seu controle e capacitá-los para assumir novas responsabilidades.
    • “Valorizar o tempo dos outros”. limitar mensagens instantâneas para duas por dia entre todos os colegas.

    Há mais chances de seguirmos adiante com pequenos passos. E isso não significa que não haverá progresso: a especialista indica que uma vez bem-sucedido, você aumente a complexidade ou substitua-a por uma nova tarefa.

  • Tabela para criar novos hábitos

    Porém, segundo ela, só delimitar as metas e seguir não é o bastante, a segunda parte (e a mais importante) é a de monitorar o progresso. Onde entra a tabela para criar novos hábitos.

    Continua após a publicidade

    Chamada por Nawaz de “Yes List”, ajuda a acompanhar sua evolução e não leva mais de dois minutos por dia para ser completada. Basicamente, a ordem é completá-la diariamente com S ou N (na original, em inglês era Y, de yes no lugar do S), dependendo se você conseguiu ou não cumprir a tarefa.

    Tabela de Yi-Min / Reprodução Harvard Business Review

     

    A especialista sugere que você tenha a tabela para criar novos hábitos impressa ou no celular e que crie um lembrete diário para preenchê-la no fim do dia.

  • Benefícios

    Acompanhar seus resultados permite que se “veja” o progresso, o que faz com que a maior parte das pessoas tenha a sensação de “realização”. Após várias semanas de rastreamento de seus hábitos, avalie se há algum padrão que precise ser ajustado.

    Por exemplo, quando revisava seus registros, Yi-Min notou que falhava em delegar na segunda-feira. O que ele e Nawaz descobriram que, por segunda ser o dia em que se encontrava com um funcionário com baixo desempenho, ele tinha receio de delegar. Assim que entendeu isso, teve um feedback honesto com o colaborador.

    A primeira tarefa que parou de rastrear foi a das reuniões, porque a prática de não levar o celular se tornou, facilmente, um hábito. Por isso, Yi-Min logo substituiu-a por outra relacionada ao hábito de ouvir melhor – uma de suas metas.

    “Você pode definir metas para alcançar seus sonhos ou melhorar seu comportamento, mas sem maneiras práticas de avançar e medir o progresso, voltará aos velhos e maus hábitos novamente”, resume a coach de CEOs.

    A receita, na verdade, é se apoiar em certa estrutura e acompanhar com registro e frequência. Antes de tudo, no entanto, o primeiro passo é identificar como você chegar a seus objetivos. Depois, comece com pequenas etapas e tome nota do seu avanço. Assim, se mantém motivado durante toda a jornada.

    O que as empresas podem fazer durante a quarentena?

    Refeições individuais em vez de bandejão, distribuição de álcool gel e luta contra fake news. Conheça ações de destaque durante a crise da covid-19

    As melhores práticas que as empresas podem adotar na quarentena

    * este artigo foi originalmente publicado pelo Na Prática, portal da Fundação Estudar
    Continua após a publicidade
    Publicidade