Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

2021 chegou, mas Ibovespa segue com os mesmos problemas de 2020

O índice até bateu o recorde intraday, mas depois fechou no negativo. O tombo só não foi maior porque, no Brasil, as commodities sempre nos salvam.

Por Monique Lima Atualizado em 9 mar 2021, 09h44 - Publicado em 4 jan 2021, 19h59

Nova década, novo ano e no primeiro dia útil de 2021 o Ibovespa começou com o pé na porta aos 120 mil pontos para dar aquele gás no otimismo. Como já explicamos aqui, esse não é realmente o maior recorde do índice, mas sempre causa um alvoroço entre os investidores. 

Acontece que o ano do calendário pode até ter mudado, mas os problemas ainda são os mesmos (lê-se coronavírus e crise fiscal). 

E o principal índice brasileiro não conseguiu segurar o tranco. Não durou nem 30 minutos a pontuação, às 10:30 já estava em 119.814. E fechou em leve queda de 0,14%, aos 118.854 pontos. 

Em grande parte, a perda de tração foi por acompanhar o clima de Nova York. Por lá, os números da pandemia pós-festas já foram divulgados e as notícias não são as melhores (surpreendendo um total de zero pessoas). 

O número de casos subiu na última semana do ano e elevou a média de sete dias de 179,7 mil para 208,5 mil novos infectados diários. Nesta segunda-feira (4), 32 estados reportaram aumento nesses números, com destaque para Arizona e Kansas. De acordo com o mapeamento da Bloomberg, os EUA registraram 210,5 mil novos casos só hoje. No total, 351.590 pessoas já morreram no país. 

A incerteza se aprofundou por um outro motivo também: amanhã (05), acontece a eleição para o Senado no estado da Geórgia. Há duas cadeiras em disputa que podem definir uma maioria republicana ou democrata. Isso porque se os democratas conseguirem os dois postos, eles fecham exatos 50/50 e, em um eventual empate nas votações, o voto de minerva seria da vice-presidente eleita, Kamala Harris. 

No final das contas, trata-se de um sinal forte de como será o futuro governo de Joe Biden.  

Nesse ponto, é importante lembrar que a vitória democrata conversa com um programa financeiramente mais gordo para a recuperação da pandemia. Enquanto a conquista republicana é mais conservadora nesse sentido. 

Em meio a tudo isso, sempre existe aquela parcela de realização de lucros. Afinal, 2020 se foi deixando recordes verdadeiros nas bolsas americanas. E o dia de hoje ficou com S&P caindo 1,48%, enquanto o Nasdaq fechou em -1,47%. 

Não só nos Estados Unidos, lá pela Europa, a crise sanitária segue grave também. Nesta tarde, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson retomou o lockdown em Londres — é o terceiro bloqueio na Inglaterra. Outros países como Áustria, Escócia e Líbano também impuseram lockdown até o final de janeiro. 

Commodities na cabeça 

Queda lá fora, no geral, acompanha quedas aqui dentro. Há exceções, mas hoje não foi uma delas, por mais de um motivo. 

Embora números oficiais do pós-festas no Brasil ainda não tenham saído, há outros indícios de problemas com o coronavírus por aqui, como o atraso na vacina e falta de seringas e agulhas. Depois de fracassar no leilão em que só conseguiu comprar 2,4% do previsto de suprimentos, o governo proibiu a exportação de seringas como medida paliativa. Enquanto isso, vizinhos nossos como Argentina e Chile começaram a vacinar ainda em 2020. 

Resultado: pessimismo com a economia e venda de ações de viagem e aglomeração. Por isso, bancos como Itaú (-1,53%), Banco do Brasil (-3,12%) e Bradesco (-2,65%) caíram em bloco. O ano começou com o pé esquerdo também para GOL (-4,25%), Azul (-3,99%) e shoppings, como o Iguatemi (-4,25%). 

Quem não se abalou mesmo foram elas: as commodities. 

Desde o final do ano passado elas estão impressionando. A queda do Ibovespa hoje só não foi maior graças a empresas ligadas ao setor. 

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, na China, disparou 3,31% e puxou as ações de siderúrgicas como CSN (7,28%) e Gerdau (6,09%) e também da Vale (4,46%).

Não só. Embora o dia não tenha sido de alta no valor do petróleo, as empresas petroleiras viram suas ações subirem. Motivo: os barões do petróleo que formam a Opep passaram o dia discutindo se aumentam ou não a produção do óleo neste começo de ano. Com isso, a cotação ficou extremamente volátil e a expectativa é de aumento, principalmente com o avanço das vacinas no mundo. 

Mas, bom, isso só saberemos amanhã, já que a reunião foi adiada, sem nenhuma conclusão. 

O que não impediu as ações da Petrobras (2,01%) e da sua concorrente PetroRio (6,57%), iniciarem o ano de 2021 no positivo.

Adeus ano velho. Feliz ano novo. 

Continua após a publicidade

Enfim, 2021. 

 

MAIORES ALTAS 

CSNA: 7,28%

PetroRio: 6,57%

Gerdau: 6,09%

Vale: 4,46%

Metalúrgica Gerdau: 4,44%

 

MAIORES BAIXAS 

Embraer: -5,42%

JHSF: -4,99%

Iguatemi: -4,25%

GOL: -4,25%

Multiplan: -3,95%

 

Dólar: 1,53%, cotado a R$ 5,2681

 

Petróleo 

Brent: -1,37%, a US$ 51,09 o barril

WTI: -1,85%, a US$ 47,62 o barril

Continua após a publicidade
Publicidade