Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Nunca cometa estes 4 erros, eles destroem negociações e sua credibilidade

Confira as piores atitudes e situações em que um negociador pode se meter, segundo Eduardo Ferraz, autor de "Negocie Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa"

Por Camila Pati 31 ago 2020, 10h44

Se a expertise, a credibilidade, o talento, o poder e os padrões são aliados do negociador, a incoerência, o improviso, o desequilíbrio e a arrogância  jogam contra a negociação. De acordo com Eduardo Ferraz, autor do livro “Negocie Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa”, essas atitudes acabam com as chances você obter o que deseja.

Nas semanas anteriores, ele explicou sobre os estilos e tipos de negociação, os motivadores e os principais trunfos dos negociadores. No vídeo desta semana, o foco está nos piores erros e situações que destroem as chances de bons acordos. Se você perdeu os episódios anteriores, pode assistir a todos os episódios neste link

No 11º episódio, Eduardo explica que a incoerência e o hábito de prometer e não cumprir minam a credibilidade e, por isso, desmotivam os interlocutores a se engajarem na negociação. “Quando a gente promete algo que a gente não sabe, não conhece, não sabe se vai entregar, ou simplesmente falou por falar, você pode até ganhar na primeira negociação, mas da segunda em diante, a sua confiabilidade vai a zero”.

O improviso, muitas vezes visto como o jogo de cintura típico do brasileiro, também é uma situação arriscada para um negociador. Estar despreparado em uma negociação importante pode causar um tremendo constrangimento e levar a sua credibilidade ao chão, segundo o autor.

Desequilíbrio emocional e arrogância são comportamentos que não ajudam em nada, muito pelo contrário, minam as chances de bons acordos além de pesar o clima na sala de negociação. Aperte o play e assista à explicação completa, em mais um dos vídeos da websérie “Negocie Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa”.

  • Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de VOCÊ S/A? Clique aqui e assine VOCÊ S/A.

    Gosta da VOCÊ RH? É só clicar aqui para ser nosso assinante.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade