Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

EUA deixam recuperação do Ibovespa pela metade

Índice subiu 0,59%. Lá fora, medo é da variante delta e da redução de estímulos à economia. Aqui, investidores temem que o teto de gastos vá à ruína.

Por Tássia Kastner 2 ago 2021, 18h23

Depois do tombo de 3% na sexta-feira, o que investidores queriam era uma recuperação para o começar agosto com o pé direito. E no início dos negócios, até colou. O Ibovespa chegou a subir mais de 2%, numa busca pelos 124 mil pontos que compensariam uma parte do estrago do final de julho. Só que o dia foi passando e investidores foram caindo na real: o cenário continua adverso.

O primeiro motivo é a variante delta do coronavírus. Depois que americanos classificaram essa cepa como tão contagiosa quanto catapora, a China voltou a registrar casos da doença. O medo é que o avanço da doença volte a provocar medidas de restrição que afete a recuperação da economia, isso num cenário em que os dados de produção industrial dos dois países ficaram abaixo das estimativas dos economistas. Na Europa, o crescimento do contágio afetou índices de confiança do consumidor, o que também pode se converter em redução de gastos e desaceleração.

O petróleo, um termômetro do aquecimento ou desaceleração da economia, caiu mais de 3% (veja abaixo);

Nesse ambiente que já era de maior cautela, um dirigente do Fed, Christopher Waller (de Saint Louis) disse que o banco central americano pode decidir em setembro pela redução de estímulos à economia e começar a agir em outubro. E ainda arrematou que o mercado deve estar preparado para altas nas taxas de juros por lá no próximo ano.

Aí o mercado azedou de vez. O dinheiro do Fed é que tem mantido as bolsas americanas perto das máximas históricas, isso enquanto a economia ainda se recupera. Que o BC de lá estuda limitar a impressão de dinheiro não é novidade. O problema é dizer isso justamente no dia em que o mercado voltou a ter dúvidas sobre os riscos que o coronavírus ainda pode trazer. 

No fim, bolsas americanas, que se seguravam com uma alta modesta, foram para o negativo, e o Ibovespa terminou com uma altinha de 0,59%.

A variante Brasília

Por aqui, a variante delta ainda não é dominante e o número de mortes voltou a ficar abaixo de 1.000 por dia. É um ótimo sinal, mas não significa que o investidor possa respirar aliviado. Hoje foi o primeiro dia de trabalho em Brasília e não foi um recomeço com pé-direito.

O governo quer deixar fora do teto de gastos o dinheiro do pagamento de precatórios (as dívidas que ele tem com cidadãos e que moram numa fila infinita. A proposta, mais um buraco na política de controle dos gastos públicos, abriria espaço para engordar o Bolsa Família, esperança do presidente Jair Bolsonaro para estancar a queda de popularidade.

Quando o Ibovespa se preparava para fechar, surgiu a notícia de que a proposta prevê um pagamento de R$ 400 – até então, discutia-se em Brasília o valor de R$ 300.

A reação foi para os contratos futuros de Ibovespa, mercado que fecha às 17h30, com uma queda. Juros futuros bateram as máximas, um sinal de que o mercado vê maior risco para as contas públicas. Isso que o mercado financeiro decidiu ignorar a nova ameaça de intervenção na Petrobras.

Petrobras

No final de semana, Bolsonaro disse que pretendia usar R$ 3 bilhões do caixa da estatal para subsidiar gás de cozinha para as famílias. O botijão já custa mais de R$ 100, reflexo da alta nos preços do petróleo e do dólar.

A Petrobras disse que R$ 3 bilhões é o que já foi pago ao governo na forma de dividendos neste ano. Aí ficou por isso mesmo, tanto que as ações da petroleira começaram o dia em alta robusta.

Só que o clima negativo lá fora sobre os preços do petróleo acabaram pesando, levando a Petrobras a recuar 1,86%, a segunda maior queda do dia. 

Bancos

Quem segurou o índice no azul foram os bancos. Os motivos são dois: expectativas positivas para os resultados do trimestre (Itaú divulgaria após o fechamento do mercado) e também o ciclo de alta de juros, que engorda as receitas das instituições financeiras.

No fim, sobrou pouco para comemorar. Se você é da turma do horário de verão, talvez goste de saber que ao menos Bolsonaro admitiu que ele pode voltar, um apelo de empresários para atravessar a grave crise hídrica do país.

Só que, do jeito que as coisas vão, é melhor se preparar para um inverno mais severo e duradouro do que o normal.

MAIORES ALTAS

Totvs +4,55%

Continua após a publicidade

Americanas.com +4,42%

Taesa +4,08%

Hypera +3,79%

Copel +3,76%

MAIORES QUEDAS

CVC -2,02%

Petrobras -1,86%

BB Seguridade -1,73%

Localiza -1,58%

PetroRio -1,46%

Ibovespa: +0,59%, a 122.515,74 pontos

Em Nova York:

Dow Jones: -0,28%, a 34.836,65 pontos

S&P 500: -0,18%, a 4.387,13 pontos

Nasdaq: -0,71%, a 14.681,07 pontos

Dólar: -0,86%, a R$ 5,1653

Petróleo

Brent: -3,05%, a US$ 73,11

WTI: -3,64%, a US$ 71,26

Minério de Ferro

+1,57%, a US$ 184,42 a tonelada no porto de Qingdao

Continua após a publicidade
Publicidade