Imagem Blog

Sofia Esteves Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Fundadora e presidente do conselho do Grupo Cia. de Talentos, professora e pesquisadora de gestão de pessoas
Continua após publicidade

Este ano, você vai precisar trabalhar com a IA, e não contra ela

O foco do debate está mudando: agora, o discurso vai mais na linha do “se não pode com ele, junta-se a ele”.  Entenda como se preparar.

Por Sofia Esteves
Atualizado em 1 fev 2024, 17h33 - Publicado em 1 fev 2024, 14h45

Sai 2023, entra 2024 e um assunto continua em pauta: o impacto da Inteligência Artificial generativa no mercado de trabalho. 

Talvez, você já sinta cansaço dessa conversa e não queira mais saber disso, afinal esta revolução tecnológica foi bastante noticiada nos últimos tempos. Contudo, preciso tocar nesse tema porque algo me chamou a atenção nas famosas listas de tendências que aparecem em tudo quanto é lugar no começo do ano.

Era de se esperar que essas duas letras “IA” continuariam rendendo assunto em 2024. Isso não é nenhuma surpresa.

No entanto, o foco do debate está mudando — e isso deve provocar diversas mudanças na sua carreira. 

O que tem de novo sobre a IA?

Se antes o debate se concentrava mais fortemente na quantidade de empregos que esta nova tecnologia poderia roubar, se as conversas focavam no impacto do ChatGPT no mercado de trabalho, parece que, este ano, o discurso vai mais na linha do “se não pode com ele, junta-se a ele”. 

Continua após a publicidade

Ou seja, a ideia é que, mais do que temer, as pessoas aprendam a trabalhar com esse recurso para além daquele uso básico do ChatGPT para criar um texto. 

Encarar a IA quase como uma colega de trabalho, com a qual é possível atuar em conjunto e cocriar, parece ser uma tendência cada vez mais forte. Isso significa testar possibilidades, experimentar novas funções, trocar experiências de uso com outras pessoas e, principalmente, pensar em como a incorporação da Inteligência Artificial na rotina irá transformar a sua área de atuação no futuro breve. 

Quais competências você precisará desenvolver? Quais funções caberão a você e quais ficarão a cargo da “máquina”? O que pode e deve ser automatizado? Quais tarefas demandam um olhar humano?

Mais do que ter respostas absolutas para essas perguntas, o caminho é refletir sobre tais questões e saber desenvolver uma conversa sobre elas. Isso fará a diferença na sua carreira hoje e daqui para frente. 

Continua após a publicidade

Independemente do quanto a empresa na qual você trabalha está avançada na transformação digital, do quanto ela investe em novas tecnologias e das formações que ela oferece para os seus talentos, é importante que você vá atrás disso. 

Se o lugar onde você atua ainda não incorporou recursos de Inteligência Artificial generativa, tente por conta própria trazer isso para a sua realidade — claro, respeitando as regras e diretrizes da empresa. Comece a fazer experimentos com responsabilidade, ética e senso crítico, tendo em mente que estamos falando de uma tecnologia em desenvolvimento que pode, sim, gerar grandes oportunidades, mas também representar riscos. 

Nós somos corresponsáveis pela forma que a IA é usada hoje e será empregada no futuro. Por isso, não se esquive desse desafio. 

Publicidade