Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Cielo sobe 7% com expectativa por cisão. Ibovespa fica no vermelho

Índice terminou em baixa de 0,84%, puxado pelo desempenho fraco de Vale, Petrobras e bancos, mais os temores de inflação nos EUA

Por Guilherme Eler e Alexandre Versignassi Atualizado em 26 Maio 2021, 14h36 - Publicado em 25 Maio 2021, 19h37

 

A Cielo liderou as altas do dia, com um voo de 7,63%. Motivo: de acordo com uma notícia do site Neofeed, a Alelo terá um sistema próprio de software para operar seus cartões de benefícios (vale alimentação, vale transporte etc.). Antes, ela usava um sistema produzido pela Cielo.

Mas porque a perda de um cliente faria as ações da Cielo subir? De acordo com analistas, é porque isso abre a possibilidade de uma cisão dos sócios da Cielo. É que a Alelo pertence ao Bradesco e ao Banco do Brasil. A Cielo também.

E isso nos leva à pergunta número dois: porque raios uma cisão societária faria bem para a Cielo? Porque se o BB ou o Bradesco pularem fora, quem sair provavelmente terá de deixar uma bolada com a Cielo. Isso vai acontecer de fato? Ninguém sabe. A especulação, porém, fez o mercado se mover nessa direção.

No geral, porém, o dia foi de baixa.

 

Ibovespa cai 0,84%

Quando Vale (-2,49%), Petrobras (-2.08%) e os bancões teimam em operar no vermelho, é difícil esperar que o Ibovespa consiga se segurar no azul.

Claro: as ações da mineradora, sozinhas, respondem por 12% da composição carteira do índice. Papéis de Petrobras e bancos como Bradesco e Itaú, somados, abocanham outros 24%.

De tão especiais, esse grupo de ações tem um nome só pra elas: blue chips. O apelido brinca com a cor das fichas mais valiosas do pôquer – e o fato de a bolsa de valores, vez ou outra, se comportar como um jogo de apostas.

Esta terça-feira (24) não fugiu à regra. Freado por baixas de ações importantes, o índice até tentou ensaiar uma alta no início do pregão, mas acabou no negativo ao longo do dia, fechando aos 122.987 pontos.

NY deprimida

As bolsas americanas, afinal, também tiveram uma terça-feira azeda.

Por lá, o problema foi a divulgação de indicadores econômicos que vieram abaixo do esperado pelos analistas – mais especificamente o Índice de Confiança do Consumidor e o número de vendas de imóveis residenciais.

A inflação imobiliária cresceu 13,3% em relação a abril. A expectativa, porém, era de que ela ficasse em torno dos 12,3%. O preço dos imóveis no país, aliás, engatou a maior subida desde 2005.

Tudo isso fez os investidores desconfiarem daquele discurso do Fed de que a inflação é temporária e de que não será necessário aumentar os juros – como quem lê a Você S/A viu na semana passada.

O mau-humor de Wall Street atrapalhou principalmente o Dow Jones, que fechou em queda de 0,24%. Para o S&P 500, a baixa foi de 0,21% e para o Nasdaq, de 0,03%.

Minério desacelera

Além da Vale, as outras empresas ligadas à demanda por aço na China caíram. Casop de CSN (-2,39%), Gerdau (-2,10%) e Usiminas (-1,88%).

Isso reflete a maior cautela de investidores com o setor, causada pelas oscilações recentes do preço mundial do minério de ferro. Após chegar à maior cotação na história, ultrapassando os US$ 200, o minério acumulou algumas baixas nos últimos dias.

A alta galopante fez a China começar a acirrar sua política de controle de preços da commodity – e colocou uma pulga atrás da orelha do mercado. Pequim “recomendou” que as siderúrgicas chinesas, as maiores consumidoras globais de minério de ferro, puxem o freio de mão nos valores que pagam pela commodity.

Pelo jeito, baixaram a orelha. A tonelada já caiu para US$ 192,87. E hoje a alta foi branda, de 0,23%.

Entre os bancos de grande porte, o BB caiu -1,34%. É que, no fim do dia, estourou a notícia de José Maurício Pereira Coelho, o presidente do Previ (fundo de pensão do Banco do Brasil) decidiu renunciar ao cargo. O movimento acabou afetando também o Itaú (-1,02%) e o Bradesco.

Continua após a publicidade

Mais um dia gelado de outono para as bolsas. Que a reforma administrativa, aprovada hoje pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, ajude a espantar a frente fria.


Versão atualizada 


 

MAIORES ALTAS
Cielo: 7,63%

Cogna: 6,65%

Pão de Açúcar: 5,47%

YDUQS: 3,49%

EZ Tec: 2,44%

MAIORES BAIXAS
Banco Inter: -6,97%

Usiminas: -3,09%

Cosan: -2,89%

B3: -2,58%

RaiaDrogasil: -1,85%

Ibovespa:
-0,84% a 122,987 pontos

Dólar:
+0,23% a R$ 5,33

Nova York

Dow Jones: -0,24%, a 34.311,54 pontos

S&P 500: -0,21% a 4.188,15 pontos

Nasdaq: -0,03% a 13.657,17 pontos

Petróleo

Brent: +0,18% a US$ 68,49
WTI: +0,03% a US$ 66,07

Minério de ferro

0,23%, a US$ 192,87 por tonelada no porto de Qingdao, na China

 

Continua após a publicidade
Publicidade