Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Bolsas afundam após balanço das big techs

Nasdaq cai 4% e já acumula perdas de 21% no ano. Ibovespa ensaia quarta alta consecutiva, mas vira para -1,86% e fecha o seu primeiro mês de 2022 no negativo.

Por Juliana Américo 29 abr 2022, 17h37

Decepção. Esse foi o sentimento dos investidores quando viram os resultados trimestrais da Amazon e da Apple, divulgados ontem depois do pregão. O mau humor foi tanto que Wall Street fechou o dia em um verdadeiro banho de sangue: queda de 3,63% no S&P 500, e de 4,17% na Nasdaq, a bolsa que concentra as big techs. A baixa também contaminou o Ibovespa: a bolsa brasileira vinha no azul ao longo do dia, mas fechou no vermelho: -1,86%, aos 107.876 pontos.    

Vamos aos balanços: a Apple registrou lucro de US$ 25 bilhões nos primeiros três meses do ano. Trata-se de um crescimento de 6% em relação ao mesmo período do mês anterior. O lado meio vazio do copo é que a taxa de crescimento saiu da casa dos dois dígitos pela primeira vez em cinco trimestres.  

Mas o contratempo para valer foi outro. A empresa deixou claro que suas vendas devem ser afetadas pelos lockdowns na China – seus produtos são fabricados no país. De acordo com Tim Cook, os problemas da cadeia de suprimentos podem impactar as vendas entre US$ 4 bilhões e US$ 8 bilhões para o atual trimestre. 

Já a Amazon teve prejuízo de R$ 3,8 bilhões no período. Detalhe: um ano antes, a empresa de Jeff Bezos reportou lucro de R$ 8,1 bilhões. Os números foram impactados pelo aumento da inflação, de problemas na cadeia de suprimentos e também devido à redução do valor de sua participação na Rivian Automotive, uma companhia de carros elétricos.

Resultado: as ações das duas big techs despencaram. A Amazon caiu 14,05%. Apple -3,66%. E arrastaram com elas os índices americanos. Aliás, a Nasdaq acumula baixas: para o mês de abril, o saldo negativo é de 13%; e para o ano, é de -21%. 

Além dos balanços corporativos, os investidores também não param de pensar no Federal Reserve. O banco central americano ganhou mais um indicador para validar o seu plano de aperto econômico mais agressivo: o  PCE (sigla em inglês para Índice de Despesas de Consumo Pessoal) subiu 6,6% em março em relação ao ano anterior. 

Ele mede a inflação dos bens e serviços nos EUA e é o indicador de inflação preferido do Fed. O problema é que, além de ficar acima dos 6,4% projetados pelo mercado, essa é a maior alta registrada desde 1982. 

O núcleo da inflação, que exclui os preços mais voláteis de energia e alimentos, se saiu um pouco melhor. A alta foi de 5,2% em março (em linha com as projeções) e ainda desacelerou, quando comparada com fevereiro (5,4%). De qualquer forma, se alguém ainda tinha esperanças de que o Fed poderia mudar de ideia sobre o reajuste de 0,5 ponto percentual nos juros na próxima reunião, já deve ter se conformado. 

Ibovespa

Com o empurrãozinho extra da queda de hoje, o Ibov teve o seu primeiro mês negativo do ano: -10% no mês de abril – foram cinco dias no positivo contra 14 pregões no vermelho.

Entre as altas, o destaque vai para as petroleiras, que subiram mesmo com o petróleo interrompendo a sua sequência de altas. A expectativa é de que a Alemanha esteja se preparando para vetar de vez a compra do petróleo e gás russo. Na quarta-feira, representantes alemães em instituições europeias retiraram a objeção de um embargo total dos produtos, após a Rússia interromper o fornecimento de gás para Polônia e Bulgária. 

Bom, a 3R Petroleum avançou 3,24%, seguida pela PetroRio (1,98%) – na quarta-feira, a companhia adquiriu 90% da fatia da Petrobras no campo de Albacora Leste por US$ 2,2 bilhões. E a Petrobras subiu 0,76%. 

Agora é curtir o final de semana, porque os próximos dias prometem ser de tensão: tem reunião do Copom e do Fed nos dias 3 e 4 de maio, com direito a Super-Quarta. Bom descanso!

Compartilhe essa matéria via:

Maiores altas

Multiplan (MULT3): 4,14%

3R Petroleum (RRRP3): 3,24%

Continua após a publicidade

Petrorio (PRIO3): 1,98%

Minerva (BEEF3): 1,16%

BR Malls (BRML3): 0,96%

Maiores baixas

Inter (BIDI11): -6,36%

Locaweb (LWSA3): -5,50%

Cielo (CIEL3): -5,26%

Banco Pan (BPAN4): -4,96%

Fleury (FLRY3): -4,87%

Ibovespa: -1,86%, a 107.876 pontos

Em NY:

S&P 500: -3,63%, a 4.131pontos

Nasdaq: -4,17%, a 12.334 pontos

Dow Jones: -2,77%, a 32.978 pontos

Dólar: 0,06%, a R$ 4,9427

Petróleo

Brent: -0,11%, a US$ 107,14

WTI: -0,63%, a US$ 104,69

Minério de ferro: 2,92%, US$ 145,99 no porto de Qingdao (China)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Tempo é dinheiro. Informação, também. Assine VC S/A e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro e cobertura diária do fechamento do mercado.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo de VC S/A. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro.

Cobertura diária do fechamento do mercado.

Receba mensalmente a VC S/A impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VC S/A, para celular e tablet.


a partir de R$ 12,90/mês