Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Bolsas acordam mareadas depois de uma semana balançando loucamente

Índices americanos têm viés negativo, enquanto o petróleo avança. Foco está no mercado de trabalho dos EUA.

Por Tássia Kastner, Bruno Carbinatto Atualizado em 3 dez 2021, 08h40 - Publicado em 3 dez 2021, 08h04

Bom dia!

Depois de uma semana na montanha-russa, o mercado financeiro acordou nesta sexta-feira um tanto mareado. Os contratos futuros das bolsas americanas recuam, enquanto o petróleo sobe.

Quando isso acontece, o melhor é buscar um terreno firme. É o que investidores farão a partir das 10h30, quando saem os dados oficiais do mercado de trabalho americano. A mediana das estimativas aponta que economistas esperam a criação de 550 mil postos de trabalho em novembro. Se os dados forem sólidos como esperado, aí recomeça a bolsa de apostas para o ritmo com que o Banco Central dos EUA vai enxugar dinheiro da economia.

Desde que o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou que era hora de deixar de falar em inflação transitória, o mercado financeiro começou a especular que o primeiro aumento de juros poderia vir em junho do próximo ano. O lance é que fica mais difícil – para não dizer impossível – traçar um cenário enquanto não se sabe qual o estrago a Ômicron pode fazer na saúde pública e na economia global em 2022.

Por sinal, nesta sexta a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, disse o contrário de Powell. Que, na Europa, uma alta de taxas em 2022 é improvável – e que a inflação do bloco cairá mesmo assim.

A confusão no mundo vai além. Menos de seis meses depois de seu IPO em Nova York, a Uber chinesa Didi deve deixar a bolsa americana rumo a Hong Kong. É mais um capítulo de uma série de intervenções do governo chinês nas empresas de capital aberto do país. Nisso, as ações no pré-mercado dispararam e chegaram a subir mais de 10%, o que não é nada comparado ao tombo de quase 50% desde o IPO.

Acompanhar a bolsa neste final de ano pode ser resumido com um meme “segura, Berenice, nós vamos bater”. Bom final de semana.

Humorômetro - dia com tendência de baixa

Futuros S&P 500: -0,38%

Futuros Nasdaq: -0,31%

Futuros Dow: -0,44%

*às 7h50

Europa

Índice europeu (EuroStoxx 50): -0,31%

Bolsa de Londres (FTSE 100): 0,00%

Bolsa de Frankfurt (Dax): -0,22%

Bolsa de Paris (CAC): -0,19%

*às 7h45

Continua após a publicidade

Fechamento na Ásia

Índice chinês CSI 300 (Xangai e Shenzhen): 0,92%

Bolsa de Tóquio (Nikkei): 1,00%

Hong Kong (Hang Seng): -0,09%

Commodities

Brent: 2,50%, a US$ 71,41*

Minério de ferro: 0,73%, a US$ 102,36 a tonelada no porto de Qingdao (China)

*às 7h39

Agenda

10h30 Departamento do Trabalhos dos EUA libera o payroll, relatório sobre criação de empregos no país em novembro

market facts

Desistiu

Plot twist: de malas prontas para sair da B3 e listar suas ações na Nasdaq, em Nova York, o Banco Inter não vai mais se mudar. É que rolou um imprevisto: quem tem ações do banco aqui no Brasil podia escolher entre trocá-las por BDRs, os papéis listados aqui que investem nas empresas lá de NY, ou se preferiam receber o dinheiro equivalente por elas – opção conhecida como cash-out. Com uma condição: o total pago para todos que escolherem o cash-out não poderia superar R$ 2 bilhões. E superou. Afinal, o valor recebido para quem optasse pela grana foi de R$ 45,84 por unit (BIDI11), enquanto o preço do papel mesmo caiu para a casa dos R$ 32 nesta semana. Com isso, o conselho de administração do banco digital decidiu cancelar a reorganização societária, por enquanto.

Busca-se influencers

A Taesa, gigante do setor de distribuição de energia elétrica, quer mudar a forma com que fala com o mercado – especialmente com seus investidores. Com o crescimento dos pequenos investidores individuais na bolsa – os “sardinhas” – a empresa vai apostar em influencers das finanças pessoais para falar com seu público. O primeiro passo será o evento Investor Day da Taesa, que acontece hoje e contará com sete influencers do YouTube e do Twitter.

O objetivo é “democratizar o mercado de ações”, disse André Moreira, o presidente da empresa, em entrevista à Bloomberg Línea. Hoje, 90% da base de acionistas da Taesa é de pequenos investidores.

Vale a pena ler:

Vale a pena investir na Netflix? 

Round 6 é mais que uma série: é um viral. 140 milhões de assinantes da Netflix assistiram a pelo menos algum trecho – uma lavada no segundo colocado, Bridgerton, que teve 85 milhões de plays. O sucesso foi tanto que deu fôlego para as ações da empresa. Mas investidores permanecem céticos no longo prazo. Será que a líder global de streaming não terá ficado dependente demais de séries virais para continuar a crescer? Leia nossa análise aqui.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Tempo é dinheiro. Informação, também. Assine VC S/A e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro e cobertura diária do fechamento do mercado.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo de VC S/A. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro.

Cobertura diária do fechamento do mercado.

Receba mensalmente a VC S/A impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VC S/A, para celular e tablet.


a partir de R$ 12,90/mês