Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como usar o WhatsApp Pay

Depois de meses, a ferramenta de pagamentos do WhatsApp saiu do papel. A VOCÊ S/A testou e tira suas dúvidas sobre a nova função. 

Por Juliana Américo Atualizado em 10 Maio 2021, 10h28 - Publicado em 6 Maio 2021, 16h00

Na última terça-feira (4), o WhatsApp Pay foi oficialmente lançado no Brasil. A ferramenta permite que usuários do WhatsApp façam transferências de dinheiro entre si, sem precisar pagar taxas ou acessar plataformas bancárias. 

O Brasil e a Índia são os primeiros países a receber a função. E não é para menos: as duas nações são as que mais utilizam o aplicativo de mensagem. Só aqui, são 130 milhões de usuários – é quase 60% da população brasileira.

Mas não foi tão fácil colocar o WhatsApp Pay para rodar. O Facebook anunciou que o sistema de pagamentos seria implementado no Brasil em junho do ano passado. A rede social já estava conversando com as bandeiras Mastercard e Visa, os bancos Nubank, Banco do Brasil e Sicredi, e a Cielo.

Mas isso não durou nem uma semana. O Banco Central e o Cade barraram a novidade. A principal preocupação era com a segurança dos dados dos usuários e com o sistema financeiro brasileiro. 

Acontece que o nosso sistema é todo organizado ao redor das bandeiras de cartão. Quando alguém decide fazer um pagamento com cartão de crédito ou de débito, quem organiza e une todas as pontas são as bandeiras. 

Por exemplo: você foi na padaria e passou o cartão na maquininha. É a bandeira quem consulta o seu banco para garantir que você tem crédito. E é ela também quem se responsabiliza por fazer o banco pagar o padeiro que fez a venda. 

O problema é que para o BC não estava claro qual era o papel do Facebook ou WhatsApp na história e o quanto isso poderia interferir no sistema nacional. Em março, o Banco Central autorizou que o Facebook Pagamentos fosse um iniciador de pagamentos – uma empresa que possui o serviço de movimentação de dinheiro sem que o usuário precise acessar o aplicativo do banco. 

A VOCÊ S/A testou a ferramenta e conta tudo o que você precisa saber. Confira abaixo as principais dúvidas e o passo a passo para transferir e receber dinheiro. 

As perguntas que não querem calar

Quem pode transferir dinheiro pelo WhatsApp? 

Por enquanto, a ferramenta só pode ser usada por pessoas físicas – de CPF para CPF. Ou seja, você pode transferir dinheiro para seus familiares ou amigos, mas não pode enviar para empresas ou comerciantes. Essa parte deve ficar para o segundo semestre, conforme adiantou Paulo Cafarelli, CEO da Cielo, em entrevista à VOCÊ S/A

Para conseguir receber ou enviar dinheiro pelo aplicativo de mensagem, você precisa ter um cartão pré-pago, um cartão de débito ou um cartão múltiplo com a função débito emitido por um dos bancos que já usam a ferramenta. 

Como a função é nova, o WhatsApp está liberando para os usuários gradualmente. Então, deve levar algumas semanas até todo mundo ter acesso. 

Quais bancos já liberaram a ferramenta?

Ainda não são todos os bancos que liberaram os correntistas para usar o WhatsApp Pay. Além disso, os que já usam a ferramenta ainda não liberaram todas as bandeiras. Veja quais são: 

  • Banco do Brasil: Visa
  • Banco Inter: Mastercard
  • Bradesco: Visa
  • Itaú: Mastercard
  • Mercado Pago: Visa
  • Next: Visa
  • Nubank: Mastercard
  • Sicredi: Mastercard e Visa
  • Woop (a conta digital da Sicredi): Visa

Existe um limite de transações? 

Sim. O valor das transações é de até R$ 1.000. Além disso, podem ser feitas até 20 transações por dia ou R$ 5.000 por mês. Se você atingir o limite, não poderá enviar nem receber pagamentos. E o seu banco também pode estabelecer outros limites para o envio e o recebimento de dinheiro.

Pode ter mais de uma conta cadastrada?

Pode sim. O WhastApp permite cadastrar mais de uma conta. Então, se você tem um cartão do Itaú e outro do Nubank, dá para usar os dois para enviar e receber dinheiro. Na hora de fazer a transferência, o aplicativo permite escolher qual conta você quer usar.

É preciso pagar alguma taxa?

Continua após a publicidade

Não. O WhatsApp, Facebook e bancos não cobram taxas quando uma pessoa física envia ou recebe dinheiro de amigos e familiares. 

Agora, quando entrar a modalidade CNPJ, a história vai ser outra. Nesse caso, as empresas e comerciantes vão precisar pagar uma taxa de pelas transferências; da mesma forma que acontece com as maquininhas de cartão.

Como saber se a transação deu certo?

Você pode ver o status de cada transação no seu histórico de pagamentos no WhatsApp. Quando um pagamento for bem-sucedido, você verá o status “Efetuado”. De acordo com o progresso da transação, você também poderá visualizar outros status como “Solicitado”, “Processando”, “Pendente”, “Não efetuado” e “Expirado”.

Caso você ou a pessoa que está recebendo o dinheiro, não aceite o pagamento em dois dias, o valor volta para a conta de quem enviou. 

Quando enviar ou receber dinheiro, a descrição da transação no seu extrato bancário começará com “FBPAY *WA” ou “FBPAY -WA”. Por exemplo:

-
Arte/VOCÊ S/A

A ferramenta é segura? 

Depende. O WhatsApp Pay foi testado e aprovado pelo Banco Central. O serviço de pagamentos é habilitado pelo Facebook Pay e pelo Facebook Pagamentos (entidade autorizada pelo BC), e processado pela Cielo. Significa que é confiável e que o seu dinheiro não vai se perder por aí. A plataforma também usa a tecnologia de criptografia para proteger as mensagens.

Mas, ainda assim, o WhatsApp é uma rede social e é controlado pelo Facebook. Vale lembrar que a companhia do Mark Zuckerberg já esteve mais de uma vez envolvida em casos de vazamento de dados. 

A empresa britânica Cambridge Analytica, por exemplo, teve acesso às informações de usuários do Facebook para fazer análises políticas e influenciar as eleições americanas de 2016. Dois anos depois, a rede social também foi acusada de compartilhar mais dados pessoais de seus usuários com cerca de 150 gigantes da tecnologia. 

Além disso, o que não falta são tentativas de golpe pelo WhatsApp. Então, são aquelas orientações de sempre: não compartilhe as suas senhas com ninguém, não abra links suspeitos e ative a confirmação em duas etapas no WhatsApp (que dificulta a clonagem do número). 

Mão na massa

Veja como o WhatsApp Pay funciona na prática:

1- Entre na conversa e toque no “+”, se o seu celular for um iPhone, ou no clipes, se for um Android. Depois, selecione a opção “Pagamento” e coloque o valor. Aqui você também pode escolher se quer enviar ou receber o dinheiro. 

-
Arte/VOCÊ S/A

2- Se for a primeira vez que você está usando a ferramenta, então vai precisar cadastrar um novo cartão. Primeiro crie um PIN, ou seja, uma senha de segurança, com seis dígitos. E você também pode cadastrar sua biometria, caso o celular tenha essa opção. 

-
Arte/VOCÊ S/A

3- Insira os seus dados. Aqui, o WhatsApp vai pedir seu nome, CPF, endereço e dados do cartão. 

-
Arte/VOCÊ S/A

4- Depois que o cartão estiver cadastrado, você precisa aprovar junto ao banco. Você vai receber um código de verificação via SMS para liberar a forma de pagamento. Fique tranquilo: as etapas 2, 3 e 4 só precisam ser feitas uma única vez. Sempre que você fez fazer uma transferência, o cartão vai aparecer automaticamente. 

-
Arte/VOCÊ S/A

5- Agora, é só finalizar a transferência. O WhatsApp vai mostrar o cartão que você está usando e o valor. Toque em “Pagar”. 

-
Arte/VOCÊ S/A

6- A outra pessoa vai receber uma mensagem informando sobre a transferência. Ao tocar em “Aceitar pagamento”, será preciso cadastrar um novo cartão – caso já não tenha feito isso. E pronto, o valor vai entrar na conta bancária. 

-
Arte/VOCÊ S/A

7- Você pode adicionar novas formas de pagamento e controlar as transferências em “Configurações” e depois “Pagamentos”. 

-
Arte/VOCÊ S/A
Continua após a publicidade
Publicidade