Fale isto ao ser demitido se quiser sair com elegância da situação

É bem provável que uma pessoa demitida ouça uma das sete respostas apontadas nesta lista. Veja os principais motivos para demissão

São Paulo – Mantenha a calma, agradeça a oportunidade de ter trabalhado na empresa, se tiver a chance pergunte por que motivo está sendo demitido e, por fim, informe-se a respeito das etapas do desligamento.

Esses são os conselhos da head de operações da consultoria STATO para um dos momentos mais delicados da trajetória de um profissional na empresa: o encerramento do contrato de trabalho por vontade exclusiva do empregador.  “Não vai adiantar se justificar ao ouvir a razão da dispensa”, diz Candice Fernandes.

Ela não recomenda que gestores se alonguem em explicações sobre a dispensa para o profissional nesse momento sensível. “Se o gestor já tomou a decisão de demitir não é hora de dar feedback“, diz. Ao ouvir a razão da demissão, é bem provável que a fala do gestor  gire em torno de 7 temas. É o que mostra levantamento exclusivo realizado pelo time de especialistas da consultoria STATO com principais motivos para demissões dentro das empresas.

A análise levou em consideração relatos de clientes da consultoria que passaram por essa situação recentemente e agora se encontram em transição de carreira, e também as respostas de profissionais de RH.

No dialeto corporativo adotado pela maioria dos recrutadores diz-se que um profissional é contratado por conta de suas “hard skills” e demitido por falta de “soft skills”.

Traduzindo ao bom português: competências técnicas abrem as portas para uma contratação e desvios comportamentais são o principal motivo de demissões. É mais fácil treinar tecnicamente um funcionário do que mudar seus hábitos comportamentais.

Candice fala em inadequação à cultura da empresa, o tal do “fit cultural” e coloca sob esse guarda-chuva questões como falta de comprometimento, baixo desempenho e dificuldade em trabalhar em equipe (quando isso é importante, e quase sempre é). Indisposição e inaptidão para aprender e descumprimento das normas internas e do código de ética também aparecem no levantamento:

Cultura

A cultura de uma empresa é definida por valores considerados fundamentais para o negócio e deve ser incorporada por todos os colaboradores.

Segundo a pesquisa, profissionais que não se adaptam são demitidos rapidamente, em alguns casos em menos de um ano após a contratação. Nem sempre é possível, mas empresas tentam evitar que isso ocorra formulando testes de perfil cultural nos processos de seleção. 

Reestruturações

A crise econômica dos últimos anos enxugou os quadros de funcionários e o termo reestruturação fez parte do vocabulário de demissionados Brasil afora.  Houve empresas que optaram por reduzir o tamanho de times de projetos específicos e empresas que demitiram em larga escala.

Baixo desempenho

A incapacidade do profissional de entregar o que se espera dele é um dos principais fatores de demissões.  Há empresas que têm métricas claras e indicadores de desempenho. Nessas companhias, funcionários têm chance feedback performance regularmente. A dica dos especialistas da STATO para que evitar demissão é alinhar expectativas com gestores durante as reuniões formais ou conversas espontâneas de avaliação.

Baixa competitividade

A agilidade tornou-se uma das qualidades mais decisivas no mercado de trabalho. “Hoje em dia não existe motivo para ficar desinformado e não buscar crescimento.  Quem para de querer crescer fica para trás. porque sempre tem alguém com fome de conhecimento”, diz Candice.

Desmotivação

Pessoas desmotivadas têm baixa produtividade e, consequentemente, tornam-se menos competitivas entrando assim para a lista de demitidos. Bons líderes tentam reverter apatia de suas equipes.  A responsabilidade do profissional  que quiser continuar na empresa é refletir sobre os motivos que o levam à desmotivação e apresentá-los de forma transparente e coesa, sugerindo alternativas viáveis.

Desrespeito ao código de ética/Compliance

A tolerância com quem descumpre normas e procedimentos estipulados em códigos de ética e compliance tem sido cada vez menor, diz Candice. Vazamento de informações sensíveis ao negócio, violação de regras internas como aceitar presentes de clientes e fornecedores são exemplos de más condutas nesse campo.

Comportamento

De acordo com os relatos apurados pela STATO, a inabilidade para gerir equipes, colaborar com outros times e problemas de relacionamento são razões frequentes de desligamentos. Por outro lado, profissionais criativos, colaborativos e hábeis comunicadores têm mais chances de sucesso.

Procurando emprego?

Confira os cargos com mais demanda profissional em 2020, segundo pesquisa do Page Group com empresas de todos os tamanhos espalhadas pelo Brasil em 14 setores da economia:

Profissões em alta: veja os 38 empregos promissores em 2020

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: