Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Cris Kerr Por VOCÊ S/A Cris Kerr é CEO da CKZ Diversidade, consultoria especializada em Inclusão & Diversidade, professora da Fundação Dom Cabral, Mestra em Sustentabilidade e idealizadora do 10º Super Fórum Diversidade & Inclusão.

A inclusão é a sustentação para os projetos de diversidade

Empresas inclusivas tem oito vezes mais chances de obter melhores resultados de negócios e seis vezes mais chances de ser inovadora.

Por Cris Kerr Atualizado em 30 jul 2021, 18h41 - Publicado em 29 jul 2021, 16h00

Não é novidade que o tema Diversidade e Inclusão está ganhando cada vez mais destaque na sociedade. É natural que as empresas invistam cada vez mais em programas de D&I para garantir a sustentabilidade de suas empresas. Mas, para garantir que esses programas sejam assertivos, é necessário que eles tenham projetos muito bem fundamentados e estratégias de inclusão bem definidas e implementadas.

E para isso, precisamos entender o significado das palavras “diversidade” e “inclusão”. Quando falamos sobre diversidade, estamos nos referindo ao fato de que todas as pessoas são diversas, tanto pelas suas características de raça e etnia, gênero, orientação sexual afetiva, identidade de gênero, deficiência, classe social, como a diversidade cognitiva: pensamentos, ideias, talentos, estilo comportamental. Ou seja, cada pessoa é única.

Uma pesquisa realizada pela Society for Human Resource Management aponta que 55% das pessoas concordam “muito fortemente” ou “concordam fortemente” que as políticas das suas empresas promovem a diversidade e inclusão, e ambas as questões são classificadas como importantes por 69% delas. Porém, um estudo da Deloitte aponta que a diversidade deve ser encarada não como um dever, mas sim como algo de real importância para as corporações, afinal, muitas pesquisas já mostram os reais benefícios da diversidade aplicada com propósito.

Quando falamos sobre “inclusão”, nos referimos aos aspectos reais, que são aplicados e vivenciados nas empresas, diz respeito ao senso de pertencimento, respeito, valorização que cada pessoa sente. Ou seja, se as pessoas, principalmente as que fazem parte de grupos minorizados (mulheres, pessoas negras, pessoas LGBTQIA+, pessoas com deficiência entre outras) se sentem de fato acolhidas e pertencentes ao time.

Em 2020 a McKinsey & Co (2020) realizou uma pesquisa com mais 1000 grandes empresas sediadas em mais de 15 países. O levantamento mostrou que ainda existe uma carência nos projetos de inclusão, mesmo para as empresas que estão mais avançadas nos projetos de diversidade. O que prova mais uma vez que apenas uma base de talentos mais diversa não é o suficiente. A inclusão é o fator determinante na hora da atração e retenção das pessoas talentosas.

Continua após a publicidade

Esta inclusão vai desde a pessoa poder ser quem é no ambiente corporativo, até participar de reuniões e projetos importantes, ser escutada, ser valorizada por seus talentos e competência, sentir que o espaço é seguro psicologicamente para ela contar sobre erros ou poder opinar sem medo de ser excluída ou rejeitada do grupo. Quando essas questões são seguidas, a pessoa se sente feliz e quer continuar na empresa, o que garante uma empresa saudável e rentável.

A pesquisa da Deloitte reforça o que citei anteriormente, ela define quatro elementos relacionados à “inclusão”, são eles: justiça e respeito; valorização e pertencimento; segurança e confiança; empoderamento e oportunidades iguais de crescimento. Organizações com cultura inclusiva onde as pessoas se sentem respeitadas e valorizadas tem: 2 vezes mais probabilidade de exceder metas financeiras; 3 vezes mais probabilidade de ter alto desempenho; 6 vezes mais probabilidade de ser inovadora e ágil, e atenção para este último dado: tem 8 vezes mais chances de obter melhores resultados de negócios.

Entendo que as empresas precisam se adequar a todas as mudanças que estamos vivendo e principalmente, compreender e valorizar o papel da Diversidade e Inclusão e o quanto será importante reter pessoas talentosas, buscando soluções para motivar e fazer com que elas se sintam de fato pertencentes e orgulhosas da organização em que trabalham.

Alerto ainda, para a importância de as empresas estarem atentas para todas essas mudanças e perceberem a relevância de todo o contexto dentro da organização. Se faz necessário buscar por mudanças culturais concretas e rápidas ao longo da jornada de D&I.

Para reforçar esta informação, destaco uma pesquisa realizada pelo Hay Group, com 170 empresas brasileiras. Os dados revelaram que nas empresas em que a diversidade e a inclusão são reconhecidas e praticadas, a existência de conflitos chega a ser 50% menor que nas demais organizações. As pessoas estão 17% mais engajadas e ficam mais dispostas a ir além das suas responsabilidades.  Outro ponto é que o desempenho das pessoas é 50% maior que das demais. Ou seja, esse e muitos outros estudos recentes comprovam os inúmeros benefícios que a Diversidade com um ambiente inclusivo traz para as empresas.

Continua após a publicidade

Publicidade