Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Armando Lourenzo Doutor e mestre em administração pela FEA/USP e diretor da Universidade Corporativa da consultoria EY

Como ser um líder que aconselha sua equipe

Da mesma forma que você busca orientação com profissionais mais experientes, você deverá ser um aconselhador de seus liderados.

Por Armando Lourenzo 10 ago 2021, 16h54

Como já abordado aqui nesta coluna algumas vezes, é papel do líder trabalhar o desenvolvimento de sua equipe. Da mesma forma que você busca orientação com profissionais mais experientes, você deverá desempenhar esse papel e ser um aconselhador de seus liderados. Esteja disponível para orientá-los em relação às tarefas imediatas e de longo prazo e em relação às dúvidas de carreira que porventura eles venham a ter. Isso também será positivo para os seus resultados.

Em muitos momentos, você deverá colaborar para que o profissional consiga resolver uma situação-problema que, sozinho, talvez não conseguisse. Você precisa dar direcionamentos claros para ajudá-lo a sair do ponto A e chegar ao ponto B.

Aproveite essas situações para ponderar sobre as habilidades que ele precisa desenvolver – como líder, você deve saber reconhecê-las. Mas escute também. Saiba o que ele deseja para o trabalho e para a carreira e como pretende alcançar tais metas. Você deverá, durante este processo, fazer perguntas assertivas de modo que o colaborador pense nas respostas, tenha liberdade para falar e você interfira o menos possível. Seu papel é facilitar para que ele obtenha essas respostas.

Sempre com perguntas, tente entender o problema que ele está enfrentando para desenvolver determinada tarefa, a fim de que, juntos, vocês possam compreender a extensão dos desafios, reconhecer as causas, suas consequências e possíveis ações.

O profissional deve apontar possíveis alternativas para a resolução de problemas, os desafios que ele enfrentará para implementar cada uma dessas soluções e suas consequências, caso elas sejam colocadas em prática. Seu papel é dar todo o apoio necessário durante o processo, criando um plano de ação, mas sempre levando em consideração um plano B para contornar ou vencer os desafios que se apresentem.

Ajude seu colaborador a raciocinar dessa forma e você estará, ao mesmo tempo, treinando a si próprio para lidar com cada vez mais agilidade na hora de planejar soluções.

Por fim, faça um registro escrito de tudo o que for discutido, principalmente sobre o que e como o colaborador deve fazer para enfrentar a situação-problema. Avalie os resultados e aponte novas possibilidades, se necessário. Na próxima reunião de aconselhamento, esses registros serão muito úteis.

Continua após a publicidade

Publicidade