Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Por que as empresas precisam rever a ideia de meritocracia?

No décimo episódio do Rádio Peão, o podcast semanal da VOCÊ S/A, mostramos as armadilhas ocultas desse conceito

Por marianapoli19 Atualizado em 17 dez 2019, 15h08 - Publicado em 16 out 2019, 06h00

De uns tempos para cá, a meritocracia tornou-se lugar-comum nos discursos públicos; vocabulário recorrente nas startups; e figurinha repetida no mundo corporativo. Mas, para além das acepções no dicionário, o termo é complexo.

Isso porque, na prática, o conceito sugere que o sucesso profissional é determinado única e exclusivamente pelo esforço pessoal. O problema é que vivemos em um país profundamente desigual. Segundo a OCDE, seriam necessários 225 anos (nove gerações) para um cidadão pobre nascido no Brasil romper enfim o ciclo da pobreza.

É com base nesse tipo de dado que inúmeros especialistas ao redor do mundo questionam a meritocracia, argumentando que ela só faz sentido em sociedades igualitárias nas oportunidades educacionais, econômicas e sociais.

Em tese, o que os pesquisadores dizem é que desproporcional comparar as oportunidades de um CEO bem-nascido com as de um operário de fábrica. Enquanto um teve comida farta; o outro pulou refeições; enquanto um frequentou as melhores escolas; o outro teve de abandonar os estudos. Enquanto um corre para hospitais de ponta; o outro enfrenta filas no SUS.

  • Se você quiser conhecer esse assunto com mais profundidade, leia a matéria de capa da edição de julho da revista VOCÊ S/A aqui

Mas, se a meritocracia é mesmo um mito, como tornar os critérios de contratação e promoção justos dentro das empresas? E como livrar as instituições de nepotismos e fisiologismos? É sobre isso que vamos falar neste episódio do Rádio Peão, o podcast semanal da VOCÊ S/A.

Continua após a publicidade

Para esse debate, nós recebemos em nosso estúdio Vanessa Cepellos, pesquisadora do Núcleo de Estudos em Organizações e Pessoas da Fundação Getulio Vargas (FGV), e Josélio Alves do Santos, diretor de operações da Aegea, maior grupo privado de saneamento do Brasil, e líder do programa Respeito Dá o Tom, uma iniciativa robusta para incluir grupos minoritários na companhia. Quem conduz essa conversa são as editoras Mariana Poli e Luciana Lima.

 

Você pode escutar o podcast Rádio Peão aqui no site EXAME e nos serviços Deezer, Spotify, Pocket Casts, Podcast Addict e YouTube!

Ouça os episódios anteriores do Rádio Peão

#9 Torne-se um talento digital
#8 Como conciliar filhos e carreira?
#7 Qual é o futuro da educação?

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Tempo é dinheiro. Informação, também. Assine VC S/A e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro e cobertura diária do fechamento do mercado.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo de VC S/A. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro.

Cobertura diária do fechamento do mercado.

Receba mensalmente a VC S/A impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VC S/A, para celular e tablet.


a partir de R$ 12,90/mês