Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Vai pegar a estrada? Ecorodovias agradece com alta de 7% nas ações

Recuperação do fluxo nas estradas dá ânimo a investidores de concessionárias, o que ajudou a levar o Ibov de volta aos 111 mil pontos.

Por Tássia Kastner, Luciana Lima Atualizado em 14 dez 2020, 22h26 - Publicado em 1 dez 2020, 19h40

Sabe aquela escapadinha para a praia, desviando do coronavírus e torcendo para a segunda onda da pandemia não ser feroz? Está ajudando na recuperação das ações de concessionárias de estradas, que andavam apanhando na bolsa de valores.

Pudera. A recomendação mesmo era para as pessoas ficarem em casa e a economia toda travou. As rodovias viraram desertos. E aí não tinha o dinheiro do pedágio pingando no caixa.

E olha que elas eram consideradas ações “seguras” porque rodovias têm receita relativamente estável e previsível. É 2020 dizendo “hold my drink” para todas as certezas, incluindo as financeiras. Aí, no acumulado do ano, a CCR cai -24,22% e a Ecorodovias  perde -20,85% do seu valor de mercado. A Rumo, concessionária de malhas de trens, entrou no baile e ainda amarga baixa de -24,69%. É  um tombo bem maior que o Ibovespa, que acumula perda de 3,6% neste ano — tá com cara de que vai fechar o ano no azul, hein?

Bem, só que todo esse estrago financeiro nas concessões de estradas teve hoje um dia de trégua. A razão? Uma sequência de notícias favoráveis para o setor. 

De manhã cedo, a Ecorodovias atualizou seu relatório semanal de tráfego nas estradas, lançado para acompanhar o prejuízo (e a recuperação) causado pelo isolamento social. Nesta terça, a empresa disse que o fluxo de veículos nas suas estradas está 8,5% abaixo do registrado um ano antes. Isso considerando o período de pandemia, a partir de 16 de março até o final de novembro. Contando o ano inteiro, com o período pré-pandêmico, a baixa é de 4,4%. Não é muito diferente da semana passada, que falava em -8,9% e -4,6%.

Se fossem só os dados de fluxo nas estradas, talvez as ações nem tivessem subido. Mas teve mais.

O BB Investimentos incluiu a ação da companhia na carteira recomendada para o mês de dezembro. Segundo analistas do banco,  a  Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) pode conceder um reequilíbrio de concessão na rodovia dos Imigrantes. É uma discussão antiga, lá de julho, e bem comum em concessões. Empresas podem ter perdas de receita inesperadas ou despesas não previstas no contrato, por exemplo. Nesses casos, elas podem pedir uma compensação ao governo — não necessariamente elas ganham, esse é o ponto. Mas se o reequilíbrio sai, provavelmente ele se materializa em alta no preço do pedágio.

E não é que andar pelas estradas ficou mais caro? Mas não tem nada a ver com reequilíbrio de contratos. Tradicionalmente os pedágios sobem anualmente para compensar a inflação. Esse reajuste saía, aqui em São Paulo, sempre em julho. Só que a pandemia tava feroz e todo mundo sem dinheiro lá atrás, então a Artesp adiou o reajuste. Bem, saiu hoje e beneficiou também a Ecorodovias.

Ah, mais uma coisinha. Tem sempre o papo da vacina, da vida voltando ao normal. Mas enquanto ela não chega e vivemos entre o medo da pandemia e uma escapada, a previsão é que falte carros nas locadoras no final do ano. Adivinha por onde esse veículos vão passar? Exatamente: por estradas pedagiadas — e se for para o litoral paulista, vai ser pedágio para a Ecorodovias.

O resultado foi que a companhia terminou como a segunda maior alta do Ibovespa, ganhando 7,23%. Ela ainda ajudou a levar os outros pares do setor para o positivo. CCR, que também se beneficia de altas dos pedágios, ganhou 4,83%, e Rumo cresceu 3,74%. 

Parece que essa confiança que faz a turma pegar a estrada alcançou também o investidor gringo. Pensa de novo na descida para Santos e Guarujá em véspera de feriado. É assim que está a fila para entrada de dólares no país e dinheiro estrangeiro na bolsa. 

O resultado é que o Ibov subiu hoje 2,30%, a 111.399 pontos. Sabe o que mais foi impressionante? O volume de negócios hoje na B3 saltou para R$ 38 bilhões — a média diária do ano está em R$ 29 bilhões. E o dólar? Caiu para R$ 5,20, consegue acreditar?

Claro, essa euforia toda só acontece quando lá fora o clima está para festa.

É que o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, em discurso ao senado americano, disse concordar com uma nova rodada de estímulos no valor de US$ 908 bilhões. Dinheiro na economia sempre vira mais dinheiro para os mercados financeiros (como a gente explicou aqui). Foi o suficiente para Wall Street recuperar os ganhos e marcar mais um recorde. O Nasdaq terminou o dia ganhando 1,28%, a 12.355 pontos; o S&P cresceu +1,13%, a 3.662 pts e o Dow Jones avançou + 0,63%, a 29.823 pontos.  

Vocês vêm pra festa da Faria Lima também?

Maiores altas

Continua após a publicidade

Estácio: + 7,9%

Ecorodovias: +7,23%

Santander: +7,15%

Cogna: + 6,61

PetroRio: +6,54%

Maiores baixas 

Totvs: −3,70%

Via Varejo: – 3,38%

RaiaDrogasil: −3,37%

Localiza: -2,63%

Natura: -2,60%

Petróleo:

Brent: -1,40%, a US$ 47,21 o barril

WTI: -2,07%, a US$ 44,40 o barril

Dólar: -2,35%, em R$ 5,20;

 

Continua após a publicidade

Publicidade