Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Maior corretora de criptos vai entrar na bolsa de valores

Além da Coinbase, que tem 35 milhões de usuários, a startup Safello também planeja se lançar no mercado.

Por Juliana Américo Atualizado em 13 jan 2021, 17h38 - Publicado em 8 jan 2021, 09h00

A segunda onda do bitcoin deu a largada para um novo fenômeno no mundo das criptomoedas. A Coinbase pretende se tornar a primeira corretora do setor a ter ações negociadas em uma bolsa de valores americana. Em dezembro, a empresa protocolou um pedido de abertura de capital na Securities and Exchange Commission (SEC), equivalente à CVM no Brasil.

Criada em 2012, a Coinbase é uma das maiores exchanges do mundo. São 35 milhões de usuários em 100 países, 47 criptoativos listados e US 25 bilhões em ativos sob gestão em sua plataforma.

Mas a companhia nunca divulgou informações financeiras, como receita e lucro. Além disso, o pedido de IPO foi feito de forma confidencial, algo previsto pelas regras americanas.

Dessa forma, a companhia não precisa informar previamente ao mercado seus números e tampouco quantas ações pretende vender. Não há prazo para estreia na bolsa, mas, como o pedido foi feito, a expectativa é de que isso aconteça em breve.

E quem negocia bitcoin tem pressa, já que um tombo no mercado pode colocar os planos de IPO de volta na gaveta.

A Coinbase é um nome de peso, mas não se trata da única corretora de criptomoedas que pretende abrir o capital. A startup sueca Safello planeja se lançar na Nasdaq ainda no primeiro semestre de 2021.

Continua após a publicidade

Publicidade