Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Investidor olha para balanços de empresas em busca de alívio

Preocupação maior ainda é com as consequências da inflação, mas após dois pregões de baixa, mercado busca fio de esperança.

Por Tássia Kastner 13 abr 2022, 08h20

Bom dia!

Foram dois dias de medo no mercado financeiro – e era justificado. Investidores estavam à espera da inflação americana, que subiu para 8,5%. Não é só por lá. No Reino Unido, a alta de preços supera os 7%.

Agora, investidores só falam dos riscos de uma recessão, o efeito colateral amargo de uma ação mais dura dos bancos centrais para conter a alta de preços. Em uma entrevista ao Financial Times, James Bullard, um dos dirigentes do Fed, afirmou que as taxas de juros precisarão subir muito mais do que o mercado espera para que a inflação seja controlada.

Investidores vêm estimando juros ao redor de 2,5%, considerada uma taxa de equilíbrio – que não estimula e nem desacelera a economia. Bullard disse que, em sua avaliação, só um juro acima dessa “taxa neutra” seria capaz de fazer os preços cederem.

Isso significa frear a economia na marra. E não se trata só dos EUA, bancos centrais do mundo todo precisariam fazer o mesmo. Daí que o mercado financeiro transformou “recessão” na próxima pauta.

Mas, ao menos por hoje, essa conversa foi adiada. Os Estados Unidos entram na temporada de divulgação de resultados do primeiro trimestre, e investidores assumiram um tom geral mais otimista. Os futuros das bolsas americanas amanheceram em alta após dois dias de queda dos índices.

Há um risco de bom humor passageiro: os resultados de JP Morgan e BlackRock não empolgaram, e as ações das duas instituições financeiras operam em queda – mas sem abalar os índices no geral.

A esperança, afinal, é a última que morre.

Compartilhe essa matéria via:

humorômetro: o dia começou com tendência de alta

Futuros S&P 500: 0,52%

Futuros Nasdaq: 0,70%

Futuros Dow: 0,42%

*às 8h11

Europa

Índice europeu (EuroStoxx 50): -0,78%

Bolsa de Londres (FTSE 100): -0,01%

Continua após a publicidade

Bolsa de Frankfurt (Dax): -0,98%

Bolsa de Paris (CAC): -0,52%

*às 7h49

Fechamento na Ásia

Índice chinês CSI 300 (Xangai e Shenzhen): -0,96%

Bolsa de Tóquio (Nikkei): 1,93%

Hong Kong (Hang Seng): 0,26%

Commodities

Brent: 1,56%, a US$ 106,27

Minério de ferro: -2,52%, a US$ 151,70 por tonelada em Cingapura

*às 7h35

Agenda

9h: IBGE divulga resultado das vendas do varejo em fevereiro. 

15h: Petrobras realiza assembleia de acionistas para escolher novo presidente e trocar o conselho de administração da companhia. José Mauro Coelho deve ser confirmado no cargo.

market facts

Novo mercado

O Itaú e a Totvs anunciaram uma joint venture para aumentar a distribuição de serviços financeiros a empresas, como crédito. O Itaú deve colocar até R$ 1 bilhão na operação, de acordo com informação ao mercado. O maior banco privado do país tem passado algum sufoco para continuar crescendo – e as ações acumulam queda de 6,7% em 12 meses. A Totvs é, por outro lado, a maior empresa tech da bolsa brasileira, e os papéis tem alta de 15% no mesmo período.  

Vale a pena ler:

Garoto-propaganda

O fundador do Twitter, Jack Dorsey, deixou o cargo de CEO da empresa no ano passado. E desde então, passou a atuar como uma espécie de garoto-propaganda do Bitcoin. Neste perfil, a Bloomberg desvenda um pouco do comportamento o excêntrico empresário.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Tempo é dinheiro. Informação, também. Assine VC S/A e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro e cobertura diária do fechamento do mercado.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo de VC S/A. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro.

Cobertura diária do fechamento do mercado.

Receba mensalmente a VC S/A impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VC S/A, para celular e tablet.


a partir de R$ 12,90/mês