Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Efeito-cascata faz dia começar com nova queda das bolsas

Aqui, governo Bolsonaro quer avançar na PEC dos combustíveis enquanto enfrenta acusação de assédio sexual na Caixa.

Por Tássia Kastner, Camila Barros 29 jun 2022, 08h04

Bom dia!

As bolsas asiáticas caíram nesta madrugada. O motivo? As bolsas americanas tombaram ontem. E as bolsas europeias estão em queda nesta manhã porque as asiáticas caíram depois da queda nos EUA.

Trata-se de um efeito-cascata daqueles típicos de final de mês, quando não tem muita coisa acontecendo no mercado e fica difícil de quebrar o pessimismo.

Ontem, a baixa em Wall Street foi atribuída a uma piora no sentimento do consumidor nos EUA. Se eles estão mais pessimistas com o futuro da economia – e mais pobres por causa da inflação – tendem a gastar menos. Isso cria uma profecia autorrealizável. Talvez a economia antes não estivesse tão mal assim, mas piora por causa da falta de confiança.

Nesta quarta, os EUA divulgam a última revisão do PIB do primeiro trimestre, com a expectativa de que a economia americana tenha fechado o período com queda de 1,5% – lembrando que essa é a taxa anualizada, considera não só o trimestre, mas caso o mesmo desempenho trimestral se repetisse ao longo de 12 meses. 

Nesta manhã, os futuros americanos continuam o ciclo de perdas, ainda que mais modestas.

Petrobras e Vale carregaram o Ibovespa nas costas nos últimos dois dias. Nesta quarta, porém, o minério de ferro recua em Singapura, o que pode por fim ao ciclo de recuperação da bolsa brasileira.

Enquanto isso, investidores locais lidam com Brasília. Hoje, o senador Fernando Bezerra deve ler seu parecer sobre a PEC dos combustíveis, uma das manobras do governo para tentar reduzir os preços nas bombas.

Para coroar, o governo encontrou mais um problema. O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, foi acusado de assédio sexual por funcionárias do banco. O Ministério Público investiga o caso. Guimarães é aliado de primeira hora de Bolsonaro, e é figura frequente nas lives semanais do presidente. Ele está sendo pressionado a deixar o cargo.

Compartilhe essa matéria via:

Humorômetro - dia com tendência de baixa

Futuros S&P 500: -0,20%

Futuros Nasdaq: -0,27%

Futuros Dow: -0,07%

*7h54

Europa

Índice europeu (EuroStoxx 50): -1,41%

Bolsa de Londres (FTSE 100): -0,68%

Bolsa de Frankfurt (Dax): -1,95%

Bolsa de Paris (CAC): -1,35%

*às 7h53

Fechamento na Ásia

Continua após a publicidade

Índice chinês CSI 300 (Xangai e Shenzhen): -1,54%

Bolsa de Tóquio (Nikkei): -0,91%

Hong Kong (Hang Seng): -1,88%

Commodities

Brent*: 0,18%, a US$ 118,19

Minério de ferro: -1,01%, a US$ 122,95 por tonelada em Singapura

*às 7h50

Agenda

8h FGV divulga IGP-M, a inflação do aluguel, de junho. Expectativa é de alta de 0,70%

9h30 Leitura final do PIB dos EUA do 1º trimestre. Economia dos EUA deve ter caído 1,5%

11h30 Reunião extraordinária do Comitê Monetário Nacional

14h30 Governo Central divulga déficit nas contas públicas de maio

16h30 Governo lança Plano Safra 2022/23

market facts

China contra a alta do combustível

A China decidiu fazer o que muito governo ocidental sonha: baixar o preço da gasolina e do diesel. A partir de hoje, a gasolina vai cair 320 yuans por tonelada (o equivalente a R$ 250), e o diesel 310 yuans (cerca de R$ 243). O governo chinês disse que as condições de mercado estão mais favoráveis. Ontem, o petróleo fechou a US$ 118,25 por barril, US$ 5,33 abaixo do pico mais recente, registrado no dia 8 de junho. A China não é a única tentando encontrar maneiras de aliviar o bolso dos consumidores. Nos EUA, Biden propôs que o governo federal suspenda a cobrança de imposto sobre a gasolina, e sugeriu que os governadores façam o mesmo com os impostos estaduais. Por aqui, a ideia de Bolsonaro é praticamente a mesma. Na última sexta-feira, o presidente sancionou a lei complementar que estipula um teto na cobrança do ICMS. Mas essa novela não parece próxima do fim: ontem, 11 estados e o DF entraram com ação no STF contra a medida, alegando que a diminuição na arrecadação vai impactar a qualidade dos serviços prestados à população. 

Roubos de celular crescem, e golpes também

No ano passado, um celular foi roubado ou furtado a cada minuto no Brasil. É o que mostra o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado ontem. No total, foram 847 mil registros de roubos ou furtos – um aumento de 1,8% em relação a 2020. Veio junto a explosão de casos de estelionato no meio digital. Foram registrados 60.590 casos – esse número, no entanto, não leva em consideração os nove estados que não coletaram esse dado. A digitalização acelerada das finanças e serviços, impulsionada pela pandemia, ajudou a criar esse cenário. Ficou mais fácil pros golpistas se aproveitarem das fragilidades dos serviços eletrônicos, como Pix.

 

Vale a pena ler:

Netflix: ascensão, queda e repaginação

A Netflix viveu tempos gloriosos durante a pandemia, quando as pessoas não tinham muita opção de lazer além de transitar entre serviços de streaming. Mas, em 2022, a derrocada foi brutal. Com uma queda de 71,75% no preço das ações, ela se tornou a maior perdedora do ano no S&P 500. Agora, a empresa tenta reestruturar seu modelo de negócios a partir de duas estratégias. A primeira é a inclusão de publicidade na plataforma. A outra é parar de lançar todos os episódios das séries de uma vez só, algo que os concorrentes também fazem. Esta reportagem do Wall Street Journal conta como a nova temporada de Stranger Things marca essa nova fase da companhia. 

Apostas de Stuhlberger, do fundo Verde

Para Luis Stuhlberger, gestor do fundo Verde, a pandemia e a guerra entre Rússia e Ucrânia não são mais as maiores preocupações globais do momento. O tema da vez é inflação. Stuhlberger acredita que o Fed ainda terá muito trabalho pela frente para domar a alta de preços nos EUA. No Brasil, a situação também deve piorar. Essas declarações foram feitas em um evento de comemoração de 25 anos do fundo, um dos mais célebres do país. Nesta reportagem do InfoMoney, veja mais apostas do gestor.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Tempo é dinheiro. Informação, também. Assine VC S/A e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro e cobertura diária do fechamento do mercado.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo de VC S/A. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro.

Cobertura diária do fechamento do mercado.

Receba mensalmente a VC S/A impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VC S/A, para celular e tablet.


a partir de R$ 12,90/mês