Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

À espera da Selic de dois dígitos

BC decide nova taxa de juros do país – e já cantou que o mais provável é uma alta para 10,75%.

Por Guilherme Jacques, Tássia Kastner 2 fev 2022, 08h11

Nesta quarta, 18h30 da tarde, salvo a chegada de um meteoro, será oficial: o país voltará a ter uma taxa de juros de dois dígitos. Nós não temos uma câmera escondida onde conversam os membros do Copom, o órgão do Banco Central que decide os rumos da taxa de juros. Acontece que o BC deixou avisado que o mais provável era que viria mais um aumento de 1,50 ponto percentual para a Selic que está em 9,25% ao ano. Pronto: Selic de 10,75% ao ano. O Brasil não tinha Selic nesse patamar desde 2017 – e quando ela caiu para um dígito, o mercado achou que seria para sempre. Não rolou.

Cantar a alta de juros serve para deixar o mercado financeiro em alerta – e é uma tentativa de influenciar as expectativas dos investidores. Nisso, é como se eles antecipassem o efeito de uma alta da Selic antes mesmo de ela subir. Na teoria, ajuda no processo de redução da inflação.

Juro, afinal, é a matéria-prima do crédito. E crédito é combustível para a inflação porque faz com que as pessoas antecipem gastos. A alternativa ao crédito é poupar até conseguir o dinheiro para pagar à vista. Se o crédito fica caro porque o juro subiu, o gasto também fica para depois.

E o BC brasileiro trava uma batalha campal para trazer de volta à meta uma inflação que foi para o brejo. Ano passado, o IPCA foi a 10,06%, isso enquanto a meta era 3,75%. Para esse ano, mesmo com o aumento galopante de juros (as altas são de 1,50 p.p. em 1,50 p.p. desde meados do ano passado) ainda assim economistas estão prevendo que os preços vão descolar da meta. Falam em coisa de 6% no ano.

E uma parte dos motivos está lá fora. O barril do petróleo subiu para a faixa de US$ 90. Um sinal claro de que gasolina e diesel vão continuar a pesar na conta dos brasileiros. Não é coisa de quem tem carro, mas sim de quem come. Tudo nesse país se desloca sob rodas – e queima suco de dinossauro.

O mundo já desencanou de dizer que a inflação é temporária e causada pela pandemia, e entendeu que o jeito é mesmo fechar a torneira de dinheiro para fazer a economia desaquecer na marra. O Fed começa a subir os juros em março, o Banco Central da Inglaterra já deu seu primeiro passo.

A exceção é o Banco Central Europeu. A inflação do bloco teve alta recorde em janeiro, cortesia da disparada dos preços dos combustíveis. Lá não pega só a gasolina, mas o gás para a calefação das casas no inverno. E mesmo assim, o BCE continua chamando a inflação de transitória – com expectativa de uma primeira altinha de juros só em dezembro.

O lance é que o nosso BC começou a fazer isso antes de todo mundo. Ponto para o time renda fixa, que voltou a ter rentabilidades generosas em investimentos seguros, como títulos públicos. Os gringos também souberam aproveitar: entraram com tudo na bolsa brasileira – com ações extremamente barata depois da queda do ano passado.

Só que janeiro pode ter sido uma exceção. A temporada de balanços do Brasil começou nesta quarta, com os resultados do Santander. E o lucro do banco caiu na comparação com o último trimestre do ano passado. Subir juros, afinal, esfria a economia – e pode congelar as empresas. É isso que está em jogo a partir de agora, para definir qual interesse real dos gringos no Brasil. Boa quarta e bom Copom.

Compartilhe essa matéria via:

humorômetro: o dia começou com tendência de alta

Futuros S&P 500: 0,78%

Futuros Nasdaq: 1,50%

Futuros Dow: 0,15%

*às 7h55

Europa

Índice europeu (EuroStoxx 50): 0,53%

Bolsa de Londres (FTSE 100): 0,80%

Bolsa de Frankfurt (Dax): 0,45%

Bolsa de Paris (CAC): 0,48%

*às 7h51

Fechamento na Ásia

Índice chinês CSI 300 (Xangai e Shenzhen): feriado

Continua após a publicidade

Bolsa de Tóquio (Nikkei): 1,68%

Hong Kong (Hang Seng): feriado

Commodities

Brent: 0,08%, a US$ 89,23*

Minério de ferro: feriado na China

*às 7h50

Agenda

Hoje – Reunião da Opep+ para decidir sobre a oferta de petróleo em março. A expectativa é por mais um aumento na produção, em 400 mil barris por dia.

9h – IBGE divulga os dados da produção industrial em dezembro e nos 12 meses de 2021.

Após o fechamento – O Comitê de Política Monetária anuncia decisão sobre a Selic. Espera-se um aumento de 1,5 ponto percentual, para 10,75% ao ano.

market facts

Retomada da exportação de carne

O Brasil exportou 140,5 mil toneladas de carne em janeiro, um salto de 31% no comparativo anual. Cortesia da China que, em dezembro, voltou a comprar carne brasileira depois de três meses de suspensão. Em setembro, o Brasil identificou dois casos atípicos do mal da vaca louca, e suspendeu os embarques voluntariamente. Depois disso, dependia do parceiro comercial liberar a retomada dos negócios. Aí eles colocaram o Brasil em banho maria. 

Foi ruim, mas foi bom

A General Motors fechou o quarto trimestre de 2021 com queda de 38,9% no lucro líquido e redução de 10,5% nas receitas. Os resultados foram divulgados ontem após o fechamento do mercado e tinham tudo para fazer um estrago nas ações da empresa. Não foi o caso. Os papéis subiram 2,54% no after market da Bolsa de Nova York e, agora no começo da manhã, apontavam mais uma alta.  Investidores não estão rasgando dinheiro. Diante da escassez de chips para produção automotiva, os números da montadora já eram aguardados. A dificuldade em atender a demanda de carros foi tanta, que em 2021, pela primeira vez, a Toyota superou a GM em número de veículos vendidos nos Estados Unidos, 2,3 milhões contra 2,2 mi. Como a americana ocupava o posto de maior vendedora nos EUA desde 1931 e deve retomá-lo, o próprio presidente da Toyota na América do Norte, Jack Hollis, reconheceu que a liderança obtida no ano não deveria ser sustentável.

Vale a pena ler:

Se adiantou

A The New York Times Company comprou o jogo Wordle. Se você ainda não ligou o nome à imagem, trata-se daquele com os quadradinhos verdes, amarelos e pretos, que tomaram conta das timelines de redes sociais nos últimos dias. Nele, diariamente, os usuários têm seis chances de acertar uma palavra de cinco letras. O jogo foi criado por um engenheiro de software americano, como um presente para a namorada e, embora o valor da venda não tenha sido revelado, a transação movimentou milhões de dólares. A ideia da NYT é reforçar sua base de produtos do tipo “caça-palavras” para aumentar seu número de assinantes digitais – dos 8,3 milhões, registrados no terceiro trimestre de 2021, para 10 milhões. Leia na Folha de São Paulo.

Adeus, estraga prazeres

Uma das redes em que o Wordle viralizou com mais força foi o Twitter, com usuários compartilhando todos os dias o seu desempenho no game. Isso levou a rede social a banir a conta @wordlinator, um bot que rastreava postagens com referência ao jogo e enviava uma mensagem ao usuário revelando a resposta para o desafio do dia seguinte. No The Wall Street Journal.

-
Laís Zanocco e Tiago Araujo/VOCÊ S/A

No Brasil, antes da abertura do mercado, saiu o balanço do Santander. Depois do fechamento, o da Cielo.

Nos EUA, após as negociações do dia, saem os resultados da Meta (ex-Facebook).

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Tempo é dinheiro. Informação, também. Assine VC S/A e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo de VC S/A. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro.

Cobertura diária do fechamento do mercado.

Receba mensalmente a VC S/A impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VC S/A, para celular e tablet.


a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro e cobertura diária do fechamento do mercado.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)