Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Organize seu orçamento de um jeito simples e saia do vermelho

De um jeito simples e fácil você pode colocar seus gastos no papel e ver onde é preciso cortar despesas

Por Por Denise Bueno Atualizado em 17 dez 2019, 15h24 - Publicado em 14 jan 2016, 06h00

>>Esta matéria foi publicada originalmente na edição especial Organize suas contas da revista Você S/A, em dezembro de 2009 e pode conter informações desatualizadas


SÃO PAULO – Muita gente não aguenta mais ouvir dicas sobre como se planejar financeiramente. Aquela lenga lenga de sempre. Faça uma planilha. Separe os gastos essenciais dos supérfluos. Analise quais os que podem ser cortados e invista o que sobrar. Certo? Para muitos, o problema não é fazer a planilha. Ela praticamente está pronta e disponível em vários sites. “Boa parte dos iniciantes interrompe o planejamento no quinto mês”, conta Mauro Calil, consultor financeiro do escritório Calil & Calil, de São Paulo. Uma das razões é que eles usam uma planilha empresarial. “O gasto das empresas é racional e o das famílias, emocional. Por isso é preciso que cada um personalize a sua de acordo com as próprias características”, diz.

Mesmo assim muitos desistem. Mas depois voltam, pois se organizar financeiramente não é mais uma jornada. É um destino. Uma das coisas que tira o sono de qualquer pessoa é ter de pagar contas e estar sem nenhum dinheiro. Pior ainda é estar desempregado e não conseguir arranjar um novo trabalho porque está com o nome sujo na praça.­

Os cinco primeiros meses

O importante é vencer os cinco primeiros meses. “A partir disso vira rotina”, garantem os especialistas. Quem persistiu garante que dá certo. O novo ano está chegando e nada melhor do que aproveitar esse momento para pôr em dia as finanças. O primeiro passo para organizá-las é preencher a sua planilha mensalmente e detalhar as despesas fixas, as despesas variáveis e as despesas supérfluas. Os grandes valores ou os que são fixos são fáceis. Control C e control V nos 12 meses do ano. William Eid, consultor financeiro e professor da Fundação Getulio Vargas de São Paulo, sugere que as despesas sejam divididas em: alimentação, casa, comunicação, educação, filhos, futuro, juros, lazer, pessoal, saúde transporte e outros. Mas siga o roteiro que mais facilitar a sua memória.

Ao fazer um orçamento você terá previsibilidade. O planejamento vai ajudá-lo a saber de onde vem e para onde vai seu dinheiro. “Desta forma, o seu salário vai render mais sem privá-lo dos prazeres do consumo”, diz William Eid. Se possível, agrupe as despesas. As fixas são aquelas como aluguel, condomínio, escola dos filhos, luz e água. As despesas variáveis são relativamente fáceis de serem estimadas. O gasto no supermercado é um bom exemplo. Como este item consome boa parte do seu salário, é bom estimá-lo. Geralmente ele fica registrado no cartão de crédito, de débito ou no talão de cheques.

A pior parte de fazer um planejamento financeiro é lançar aquelas notas fiscais de valores menores que lotam a carteira. Realmente é desanimador. Mas esses gastos pequeninos, como o cafezinho, a bala, a garrafinha de água mineral, fazem diferença. Eles podem não ser tão pequenos como pensa. Imagine que todos os dias você gaste 10 reais sem anotar. No final do ano serão mais de 3 500 reais. Se apertar um pouco mais o cinto, a economia pode significar quase um 14o salário. “Não podemos deixar esses gastos fora do nosso orçamento”, alerta o professor William Eid. Por isso faça este controle apenas para descobrir se eles realmente são insignificantes e se pode reduzi-los sem dor.

Leia mais

+ Rodrigo Kede, da Totvs, renuncia por saúde. Leia entrevista feita antes da renúncia

+ Máquina troca latinha e garrafa PET por pontos e crédito no Bilhete Único

+ Facebook estende licença-parental de 4 meses a todos os funcionários

Todos juntos

Quando o orçamento doméstico envolve a família, a coisa complica de vez. “O envolvimento de todos é primordial para a saúde financeira do grupo”, diz o consultor e autor de vários livros de finanças pessoais Gustavo Cerbasi. Para conseguir a participação de todos no planejamento financeiro faça coisas simples, como delegar responsabilidades.

A família brasileira gasta 30% da sua renda em habitação e moradia, 25% em alimentação, 12% em saúde e cuidados pessoais, 8% em educação e cultura, 15% em transporte, 5% em vestuário e 5% em despesas diversas, segundo pesquisa da Fundação Getulio Vargas. Se você está dentro desse grupo, para poupar terá de fazer alguma economia. Não precisa torcer o nariz. É simples.

A conta de luz é um dos subitens mais caros do item moradia. Um dos membros da família apaga todas as luzes desnecessariamente acessas na casa. Todos aceleram o banho. O chuveiro é o item que mais pesa na conta de luz e também pode gerar uma boa economia de água. Segundo a Sabesp, o banho de ducha por 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 135 litros de água. Se fechar o registro, ao se ensaboar, e reduzir o tempo para cinco minutos, o consumo cai para 45 litros. Num dia de cansaço ou estresse maior, tudo bem.

Cortes necessários

Outro item que merece muita atenção é o supérfluo. Só presenteie se realmente puder e mesmo assim pesquise antes. Se estiver endividado, esqueça. No item lazer, uma boa saída é fazer programas alternativos. Comunicação é outro item do orçamento que deve passar por uma revisão. Ligações para celular só em caso de emergência. Afinal, o minuto chega a custar dez vezes mais do que para um telefone fixo. Pense bem. Cinco minutos no celular você nem sente e lá se foram quase 10 reais, considerando os impostos e custo da assinatura do plano. Economizar apenas 10 reais por dia dá um total de 3 800 reais no final de um ano com correção monetária.

Por fim há as despesas eventuais. Lembre-se delas. Se não, toda a renda extra que entrar vai para os imprevistos obrigatórios, como o 13o da empregada, a caixinha do manobrista da academia e do lixeiro. Para começar um 2010 diferente, monte o seu quebra-cabeça financeiro de forma divertida e em boa companhia. Organize com calma a sua planilha financeira. Recicle despesas para ter sobras. Use o seu dinheiro de forma consciente. Invista no seu sonho. Com previsibilidade, ele crescerá de forma sustentável.

Leia mais

+ Burger King abre 170 vagas em diferentes regiões do Brasil

+ PSafe abre vagas para o Rio de Janeiro

• Corte despesas. Comece pelo D e vá subindo

A. Alimentos – Mude as marcas consumidas no supermercado.

B. Básicos – Altere o plano do celular e corte o pacote de TV a cabo.

Continua após a publicidade

C. Contornáveis – Troque o presente de aniversário por um belo cartão.

D. Dispensáveis – Troque o cinema por um livro e a academia por uma corrida ao ar livre no parque.

• Dicas para organizar suas contas

1. Saiba exatamente quanto ganha, onde gasta e como investe o seu dinheiro.

2. Converse com sua família para definirem juntos o planejamento financeiro.

3. Estabeleça objetivos tangíveis e defina formas práticas de alcançá-los.

4. Lembre-se: ninguém poupa o que sobra no fim do mês. Separe a parcela a ser poupada quando recebe o salário.

• Economize no supermercado

1. Evite compras por impulso. Volte para sua casa e pense uns dois dias.

2. Anote quanto você gasta em pequenas compras. Você vai se assustar ao ver o resultado final da soma.

3. Só vá ao supermercado sem fome.

4. Faça uma lista prévia de compras.

5. Compre alguns produtos em quantidade.

• O que são finanças saudáveis

1. Gastar menos do que se ganha.

2. Definir as metas que deseja atingir.

3. Possuir reserva financeira para gastos inesperados durante o ano.

4. Se necessário, só contrair dívidas que possam ser pagas com folga e, de preferência, em pouco tempo.

5. Investir sua grana corretamente.

6. Possuir seguros, não somente de automóvel, mas também de vida, residencial e alguns outros.

7. Procurar conhecer as influências que interferem nas decisões de consumo.

8. Presentear-se de vez em quando pela boa administração do próprio dinheiro.

9. Não estipular metas inatingíveis.

10. Gastar o máximo possível, desde que se observem todos os passos anteriores.

Continua após a publicidade
Publicidade