Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Quatro dicas para aprender a pensar em inglês

Sim, para falar em inglês, é preciso pensar em inglês. Alguns exercícios podem te ajudar a desenvolver o hábito de raciocinar em outro idioma.

Por Alberto Costa, Senior Assessment Manager da Cambridge English 20 out 2020, 13h27

Nós somos brasileiros, moramos no Brasil e falamos português. Então, por que pensar em inglês? Ao começar a exercitar o pensamento em outro idioma, o entendimento e a relação que o nosso cérebro faz ao ouvir algum discurso em inglês (nesse caso) são muito mais rápidas! Além isso, cada vez mais a compreensão do idioma se tornará natural, fazendo com que haja um aprendizado mais solido e eficaz.

Mas então, como podemos exercitar cada vez mais (e de forma habitual) essa habilidade tão importante? Reunimos algumas dicas abaixo para que essa tarefa se torne mais fácil. Confira:

Leia em inglês

Pense no cérebro como um músculo: quanto mais o treinarmos e exercitarmos, mais acostumado ele ficará com o idioma. Por isso, a leitura é uma dica ótima para começar a pensar cada vez mais em inglês. Tente ler todos os dias uma notícia na língua.

Opte, no começo, por assuntos familiares e de interesse, que você já tenha domínio em português e consiga entender o contexto. Leia a notícia inteira tentando ao máximo não usar o tradutor, mesmo que algumas palavras sejam de mais difícil compreensão.

Depois de ler tudo, escolha algumas palavras desconhecidas e busque seu sentido em um dicionário inglês-inglês, pois tentar entendê-la a partir de sinônimos é sempre melhor que buscar sua tradução. Por fim, registre no celular, no computador ou mesmo em um caderninho significados que aprendeu e revisite os termos sempre que precisar.

Fale só inglês nas aulas de inglês!

Essa dica parece super óbvia, mas muita gente foge da comunicação na língua estrangeira, mesmo nas aulas de idioma. Pedem a tradução para os professores, usam mímica ou simplesmente usam o português, não arriscando evoluir no idioma nem durante a aula e em um ambiente projetado para o erro e para o conserto. É necessário abandonar velhos hábitos, criar segurança e se expor mais durante a conversação e o tempo em sala de aula (mesmo que remota atualmente).

Continua após a publicidade

Use as horas de lazer para para se relacionar com a língua de forma leve e divertida

A sua música preferida do momento, a série favorita da vida, o filme clássico que todo mundo conhece de trás pra frente em português. O que acha de reproduzir tudo isso em inglês e tentar compreender o que é falado, sem a ajuda de um tradutor?

No caso das séries e filmes, se você tem nível básico ou intermediário, coloque legendas em inglês. Se domina nível avançado, tente sem elas. O objetivo é entender as falas sem pensar em português. Por isso é melhor algo que você já tenha assistido antes ou conheça bem.

A internet é uma grande aliada

Aposte em aplicativos para celular e tablets, jogos de perguntas e quizzes (como o Quiz Your English, de Cambridge English, por exemplo) que  podem ajudar e treinar o raciocínio mais rápido em inglês. Você pode jogar com pessoas desconhecidas, de outros países, ou até com os amigos do Facebook e outras redes sociais, por exemplo.

Outra dica é usar e abusar do Wrinte&Improve, que pode ajudar nos estudos também. Trata-se de uma plataforma criada para analisar e corrigir em segundos redações em inglês. Também criada por Cambridge English, departamento da Universidade de Cambridge voltado para avaliação de proficiência em inglês, ela retorna aos usuários uma avaliação sobre a gramática e o vocabulário empregados no texto assim que o usuário o submete, assim como aponta o que pode ser melhorado.

Continua após a publicidade

Publicidade