Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

O que são os números nos tickers das ações?

Pelas regras da bolsa brasileira, as ações precisam ter quatro letras e um número. Você sabe o que significam os números? Nós explicamos.

Por Alexandre Versignassi Atualizado em 16 dez 2020, 14h42 - Publicado em 14 dez 2020, 19h31

RAIL3, ITUB4, KLBN11, NFLX34. Esses são os tickers, os nomes de fato, das ações da Rumo Logística, do Itaú, da Klabin e da Netflix.

Pelas regras da bolsa brasileira, eles precisam ter quatro letras e um número. A parte das letras é fácil. Ou tentam deixar parecido com o nome da empresa, ou partem para a criatividade (caso da Rumo, uma empresa de logística, cujo ticker significa “ferrovia” em inglês).

E os números? Os mais usados são justamente o 3, o 4, o 11 e o 34. Então vamos focar neles:

3: são as ações favoritas do Compadre Washington, as “ordinárias”. No sentido de “comuns” mesmo: são as que dão direito a voto nas assembleias de acionistas. Entre as empresas que também emitem ações do tipo 4, as ordinárias são pouco negociadas.

4: são as “preferenciais”. Elas não dão direito a voto. O nome bonito, porém, vem de uma vantagem: elas tendem a pagar dividendos maiores que as ordinárias. Logo, têm mais liquidez.

11: “Units”, ações que, na verdade, são pacotes com ações dos tipos 3 e 4. Diversas empresas formaram esses packs para não criar confusão, e aumentar a liquidez.

34: é o código das BDRs.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade