Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Diogo Arrais Por Língua É professor de língua portuguesa, consultor de empresas, fundador do Arrais Cursos e criador do Canal Mesma Língua no Youtube

Você sabe quais os erros de português nestas duas frases comuns?

Professor Diogo Arrais explica como usar os pronomes relativos e em que prestar atenção para evitar inadequações nas frases

Por Diogo Arrais, professor de português (@diogoarrais) Atualizado em 9 dez 2020, 19h51 - Publicado em 21 jul 2020, 14h35

Em nossa Língua, relativos são os pronomes responsáveis pela retomada de um nome. É sempre a referência a algo anterior no texto.

 “Hoje, Alves Silva é o cantor que mais emociona o Rio.”

Que: termo responsável pela retomada de cantor

 “Disco. O presente de que todos gostam.”

O pronome relativo QUE faz referência a disco; a preposição DE completa o verbo GOSTAM.

 Veja agora comuns sentenças:

  BANCO X. O BANCO QUE VOCÊ CONFIA. (inadequado)

 ESCOLA TAL. A ESCOLA QUE VOCÊ ACREDITA. (inadequado)

Continua após a publicidade

 Quais são as inadequações dos dois períodos acima? Faltaram as preposições exigidas pelos verbos:

BANCO X. O BANCO EM QUE VOCÊ CONFIA.

ESCOLA TAL. A ESCOLA EM QUE VOCÊ ACREDITA.

Quando usar ONDE e AONDE?

 Tais termos só podem ser inseridos em situações que dão ideia de lugar. Nada de fazer referência a pessoas, por exemplo, usando ONDE ou AONDE.Para uso adequado de tais relativos, mais uma vez, é importante que se perceba o verbo em questão:

AONDE TODOS VÃO? Todos vão ao concerto de Caetano e Gadu.”
O verbo ir, aqui na forma vão, exige A

AONDE CHEGAREI?  Chegarei ao lugar dos meus sonhos.”
O verbo chegar exige A

ONDE MORAREI? Morarei no lugar dos meus sonhos.”
O verbo morar exige EM 

 Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

foto/Divulgação
Continua após a publicidade
Publicidade