Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Diogo Arrais Por Língua É professor de língua portuguesa, consultor de empresas, fundador do Arrais Cursos e criador do Canal Mesma Língua no Youtube

Como dar mais objetividade a esta frase simples em português

Gramática precisa ser uma ferramenta útil, sem a ideia enferrujada de "certo" ou "errado", escreve o professor Diogo Arrais, em sua coluna semanal

Por Diogo Arrais, professor de português (@diogoarrais) Atualizado em 9 dez 2020, 19h50 - Publicado em 7 jul 2020, 14h16

Em nossa Língua, o verbo é a classe gramatical que expressa ação. Traz interessante pensamento o estudioso C. Nougué:

“A diferença entre significar sem tempo e significar com tempo pode entender-se facilmente pelo contraste entre um nome de ação – corrida, por exemplo – e um verbo conjugado – correm, por exemplo. Ambos significam ação, mas só a forma verbal o faz significando com tempo.”

No mundo corporativo, pautado pela pressa e excesso de cobranças, o profissional, por vezes, pensa pouco no poder dos verbos. Vejamos esta sentença simples:

“Ele vai chegar de noite, ainda vai dar a palestra, porque vai estar com a agenda muito apertada.”

 Com um pouco de esforço, a mensagem pode ficar muito mais objetiva:

“Ele chegará à noite, ministrará ainda hoje a palestra, porque está com a agenda muito apertada.”

Continua após a publicidade

Sem exageros no informal ou no formal, o profissional pode aumentar, com a devida consciência linguística, a produtividade no discurso. Gramática precisa ser uma ferramenta útil (sem a ideia enferrujada de “certo” ou “errado”); precisa ser fator de criatividade e elegância.

  • VERBOS DEFECTIVOS

    Em nossa Língua, são defectivos os verbos que não se conjugam em todas as formas normalmente possíveis, como “abolir”, “falir”, “colorir”, “precaver”, “reaver”. No presente do indicativo, há apenas: nós falimos, vós falis. Para as outras formas, será necessário pensar em um sinônimo.

    Numa visão muito tradicional, o verbo “adequar” foi visto como defectivo, mas já há autores (como o próprio Nougué) que admitem a conjugação completa desse verbo: eu adéquo, tu adéquas, ele adéqua, nós adequamos, vós adequais, eles adéquam.

    Em suma: dedicar-se às palavras é ótima estratégia!

    Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

    foto/Divulgação

    Precisa de mais dicas de cursos online? Conheça a nossa seleção

    Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de VOCÊ S/A? Clique aqui e assine VOCÊ S/A .

    Gosta da VOCÊ RH? É só clicar aqui para ser nosso assinante.

                           

    Continua após a publicidade
    Publicidade