Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

RASCUNHO – EUA x Brasil

eua

Por Da Redação Atualizado em 17 dez 2019, 15h23 - Publicado em 6 abr 2016, 12h29

Para que um negócio ultrapasse fronteiras com sucesso, é necessário um entendimento vasto da etiqueta comercial do país para o qual se quer se expandir, já que você vai precisar se comunicar com clareza, sem ofensas inadvertidas a alguém ou mesmo você acabar se sentindo ofendido. Como cada país tem seus próprios costumes e práticas, quando se trata de criar relações profissionais, Edsel Oliveira, da ReachOut Business Solutions, consultoria de negócios especializada em ajudar companhias a se estabelecerem no mercado americano, dá quatro exemplos de como a etiqueta comercial é diferente nos Estados Unidos e no Brasil.

1. Cumprimentos – embora o aperto de mãos seja algo esperado em um ambiente de negócios, nem todos fazem isso. Nos Estados Unidos, em vez disso você pode ser cumprimentado por um simples “olá” ou, se em um grupo grande, você pode nem ser cumprimentado. Além disso, os americanos não dão a mão ao se despedir, mas no Brasil, espera-se que você cumprimente e se despeça de todas as pessoas presentes.

2. Contato físico- no Brasil, o contato físico faz parte da comunicação. Tocar nos braços, nos cotovelos ou nas costas é algo bem comum e aceitável. Os brasileiros também ficam bastante perto uns dos outros, enquanto que nos Estados Unidos é melhor manter certa distância ao conversar com alguém. Se um americano sentir que você está perto demais, ele ou ela poderá dar um passo para trás, até mesmo inconscientemente.

3. Conversas – as reuniões geralmente são informais e de forma relaxada, mas com conteúdo sério. Nos Estados Unidos, em especial, uma reunião bem sucedida é breve ao ponto de não haver qualquer conversa sobre assuntos gerais. No Brasil, no entanto, as reuniões são conduzidas em um ritmo casual, sem pressa e antes de falar de negócios é importante entabular uma conversa sobre assuntos gerais.

4. Tempo – quando se trata de tempo, os brasileiros têm como hábito a extrema casualidade. Chegar de dez a quinze minutos depois da hora marcada para reuniões de negócios é normal, e de vinte a trinta minutos não é normal. No entanto, nos Estados Unidos chegar na hora significa chegar aproximadamente cinco minutos antes. Chegar com cinco minutos de atraso é aceitável, com um breve pedido de desculpas, e chegar dez a quinze minutos atrasado requer uma ligação telefônica para avisar sobre o atraso com um pedido de desculpas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Tempo é dinheiro. Informação, também. Assine VC S/A e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro e cobertura diária do fechamento do mercado.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo de VC S/A. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Análises completas sobre o mercado financeiro.

Cobertura diária do fechamento do mercado.

Receba mensalmente a VC S/A impressa mais acesso imediato às edições digitais no App VC S/A, para celular e tablet.


a partir de R$ 12,90/mês