Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quando a tecnologia e a saúde andam juntas…

Há anos se discutem maneiras de digitalizar processos na área de saúde. Com a pandemia, a opção remota se tornou necessária. Entenda os benefícios

Por Abril Branded Content 28 set 2020, 16h01

Pense no sistema de saúde brasileiro e o quanto ele usava a tecnologia a seu favor até março de 2020. Quase nada, certo? O primeiro, e muitas vezes único, recurso que vinha à mente do paciente, quando precisava de cuidados, era o pronto-socorro. Para se ter ideia, somente 0,5% utilizavam recursos como, por exemplo, a telemedicina. E não é para menos: as universidades  ainda não preparam os alunos para esse cenário digital. Além disso, a medicina tem foco total na valorização da humanização, do contato físico, do olhar. E isso é mesmo fundamental, claro. O que muita gente ainda não sabe é que é possível aliar tecnologia e saúde de maneira segura e prática. Agora, com números mais altos de pessoas usando a telemedicina por causa da pandemia – esse número chega a 20% – é essencial compreender qual o caminho seguro para continuar usando a tecnologia de maneira positiva e entender, mesmo depois da Covid-19, como a digitalização da saúde beneficia toda a sociedade: 

A telemedicina não substitui a consulta presencial 

Engana-se quem pensa que um recurso anula o outro. A telemedicina permite ao médico, e garante ao paciente, um atendimento muito mais estruturado. A consulta não é apenas uma videochamada, e sim um encontro em uma sala protegida digitalmente, como se estivessem dentro de um consultório. A evolução trouxe, inclusive, a metodologia da telepropedêutica, usada para avaliar o paciente durante uma videochamada. Em alguns casos, o médico segue todo um protocolo para que, ao final da consulta, consiga se aproximar de uma hipótese de diagnóstico. Em outros, o paciente é aconselhado a partir para a consulta presencial. Hoje, as plataformas são estruturadas para isso e tudo é feito com segurança e autoridade no tema. 

Tratamento mais estruturado e coordenado

A tecnologia permite que o médico, antes de realizar suas consultas, tenha em posse e analise informações importantes como resultados de exames e histórico de saúde do paciente em prontuário eletrônico, por exemplo. Com treinamento, o profissional consegue utilizar a telemedicina da melhor maneira possível. “Os recursos são usados de uma forma muito segura, ética e preservando a privacidade do paciente”, explica Eduardo Reis de Oliveira, CEO da SantéCorp, do Grupo Fleury.

Isso facilita, também, a vida de pacientes, empresas e até seguros de saúde, que também podem ter acesso a essas informações mais organizadas. O ecossistema de um hospital, por exemplo, que envolve pacientes, funcionários e familiares, consegue trabalhar de maneira muito mais segura com a ajuda de meio de soluções de hardware e software, monitoramento constante e resultados analisados e otimizados. Isso também traz economia e otimização de recursos.

Um clique de informação e mais contato humano

Com todas essas informações em mãos, é possível ter uma visão global do processo, o que nos leva a outros resultados mais proveitosos. Ao contarem com o apoio da tecnologia, profissionais da saúde, no geral, conseguem se dedicar mais a funções exclusivas do ser humano: experiência médica, empatia e diagnóstico aprimorado. 

Como funciona esse avanço?

 Todas essas novidades fazem parte das entregas da SantéCorp, que possui soluções que contribuem para otimizar recursos na área de saúde. A empresa do Grupo Fleury, já com dez anos de atuação, alia a tecnologia ao conhecimento médico, buscando uma melhor eficiência na gestão de saúde, por meio de uma equipe especializada e inteligência de dados. 

Funciona mais ou menos assim: 

Continua após a publicidade

1 – A empresa contrata os serviços da SantéCorp de acordo com suas necessidades, e a partir desse momento os colaboradores da empresa têm acesso exclusivo ao app da SantéCorp, pelo qual eles têm acesso aos serviços prestados, como telemedicina, histórico de exames, chat para tirar dúvidas relacionadas à sua saúde, entre outros, a depender do pacote contratado por sua empresa.

2 – Essas soluções possibilitam a aproximação entre os profissionais de saúde e o paciente, facilitando a identificação de tendências e a criação de modelos de prevenção. Também é possível atuar em questões já existentes. “Na plataforma é possível colocar em um mesmo local dados de plano de saúde, medicina ocupacional, medicina preventiva e assistencial, entre outras coisas. Nessa base, alocamos todas as informações do paciente. Usando o CPF como raiz, acessamos tudo o que foi registrado e o trazemos para o centro do cuidado”, explica Oliveira. 

3 – Com essa organização, a atenção primária ao paciente se torna muito mais efetiva. A equipe médica consegue entender a trajetória do paciente, além de ser possível atender pessoas doentes e também pessoas saudáveis. Assim, é possível auxiliar mais pessoas, com controle e qualidade.

4 – Esse controle também permite que um paciente da telemedicina vá para uma consulta presencial quando necessário. “Mas, mesmo assim, ele não volta ao marco zero, pois apresentará o mesmo prontuário. Com isso, começamos a dar ao paciente todo o seu histórico de saúde. Se incluirmos a carga do plano de saúde, essa informação vai para o prontuário, e o médico verá, por exemplo, que o paciente foi submetido a uma cirurgia há dois anos, internado em um hospital há um ano, passou pelo pronto-socorro há dois meses e fez tais exames. Está tudo ali e os dados irão sendo armazenados”, finaliza Oliveira.  

Todo esse processo faz com que os profissionais da saúde, as empresas, negócios em saúde e a população no geral comecem a se beneficiar das inovações proporcionadas pela tecnologia para uma gestão de saúde melhor para todos. Aos poucos, é possível entender que a tecnologia, aliada ao conhecimento médico e a humanização, pode proporcionar eficiência e mais qualidade de vida para toda a população. 

Conheça a SantéCorp: santecorp.com.br 

 

Continua após a publicidade
Publicidade