Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

10 dicas para ir de bike para o trabalho

A bicicleta está se popularizando como meio de transporte alternativo. Veja 10 fatos que você precisa saber se quer usar a bike para ir até o escritório

Por Anna Carolina Rodrigues, Elisa Tozzi Atualizado em 17 dez 2019, 15h28 - Publicado em 15 dez 2014, 14h53

A paisagem da Avenida Paulista, uma das mais famosas e importantes vias de São Paulo, vai mudar em 2015: o canteiro central será dividido por uma ciclovia. Isso mostra como as bicicletas estão ganhando importância, pelo menos na maior cidade do país. O argumento da prefeitura paulistana é que quanto mais bicicletas nas ruas, menor o trânsito na cidade e menor o tempo de deslocamentos das pessoas.

Hoje, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA), os profissionais que vivem em regiões metropolitanas gastam, em média, 41 minutos para ir de casa até o trabalho. Muito tempo no trânsito deixa os funcionários improdutivos e estressados. E as empresas sabem.

Por isso que iniciativas como o projeto Bike na Firma, que assessora companhias que querem incentivar o uso de bicicletas, têm tido visibilidade. Adotar a bicicleta para trabalhar significa ter mais tempo, mais dinheiro, mais saúde e mais produtividade. Ou seja, ter mais qualidade de vida.

Leia a seguir dez fatos que você precisa levar em conta se quiser usar a bike.

1. Espelho, buzina e iluminação são obrigatórios por lei. Capacete não, mas é recomendado. 

2. Suar não é obrigatório. Vá em uma velocidade baixa e constante e use roupas leves – melhor se forem de algodão. Se estiver muito calor e seu escritório não possuir chuveiro,  é bom deixar um nécessaire com  lenço umedecido e desodorante na gaveta da sua mesa.

3. Dá para dobrar a bike. A bicicleta dobrável é uma boa opção para quem não tem bicicletário na empresa e precisa guardá-la em um cantinho do escritório. Só tome cuidado porque esse modelo só funciona bem para quem pedala distâncias de, no máximo, 10 km, em baixa velocidade.

Continua após a publicidade

4. Dá para sofrer menos com subidas e descidas. É só usar a bike elétrica, que deixa a pedalada mais leve. O problema é que os modelos vendidos no Brasil ainda são caros e as baterias têm curta duração.

5. Manutenção é importante. Procure fazer a manutenção a cada dois meses para conservar a bike por mais tempo. Evite molhar a bicicleta e subir e descer de calçadas, isso diminui o tempo útil da bicicleta.  

6. Melhor evitar o trânsito intenso. Avenidas muito movimentadas ou vias de alta velocidade são perigosas demais para um ciclista.

7. Dê uma de vidente. Antecipe os movimentos dos motoristas, pedestres e de outros ciclistas para não se acidentar. E deixe que as pessoas prevejam o que você vai fazer: pode sinalizar com as mãos se precisar fazer uma curva complicada.

8. Você pode sofrer bullying dos colegas. Ainda tem gente que acha que preferir a bike a um carro é coisa de maluco – ou coisa de quem não tem dinheiro no banco para comprar um veículo. Não se abale.

9. Bagageiro é melhor do que mochila. Carregar algo nas costas enquanto pedala é desconfortável e pode amassar a sua roupa. Melhor colocar seus pertences em um alforje ou cestinha

10. Pedalar diminui o estresse. Ao andar de bicicleta, o sangue é mais bem bombeado para o cérebro e há liberação de endorfina, um neurotransmissor também conhecido como hormônio do prazer.

Continua após a publicidade
Publicidade