Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Três perguntas para Murilo Duarte, o Favelado Investidor

O YouTuber fala sobre investir com pouco dinheiro e dá dicas para iniciantes entrarem na bolsa de valores com segurança.

Por Monique Lima Atualizado em 18 fev 2021, 15h52 - Publicado em 8 fev 2021, 06h00

Canal de finanças no YouTube tem aos montes. Mas Murilo Duarte teve uma ideia diferente para o seu. Quando lançou o Favelado Investidor, em 2019, decidiu traduzir o economês para o dialeto da quebrada. O jovem de 25 anos, nascido e criado no Jardim João XXIII, bairro da zona oeste de São Paulo, diz que seu objetivo é desmistificar a visão de que só quem tem dinheiro de sobra pode investir. “Favelado Investidor já é uma contradição, tá ligado? Mas é isso. Eu sou os dois, e mais gente pode ser”, diz o youtuber.

Com o projeto, amealhou 260 mil inscritos no canal e quase 400 mil seguidores no Instagram. Agora o plano é lançar um curso de baixo custo sobre educação financeira para ampliar o acesso ao tema.


1. A renda média do trabalhador brasileiro está em R$ 2.038, segundo o IBGE. Como uma pessoa que ganha isso e precisa pagar contas todo mês pode começar a investir?
Antes de começar a investir, tem toda uma questão de educação financeira, tá ligado? Quando eu era estagiário no Bradesco e ganhava R$ 2.500 por mês, me deslumbrei, achava que já era milionário. Nisso aí, comecei a gastar e fazer dívida. Quando fui ver, já era uma bola de neve.

Tem muita gente que desconhece o quanto ganha e o quanto gasta por mês. O primeiro passo é entender sua situação financeira e os hábitos ruins. Eu tive que renegociar minhas dívidas, parar de gastar, fazer renda extra, para aí começar a investir na minha reserva de emergência, saca? Tem que seguir todos os passos para dar certo.

2. Você falou que cortou gastos. como lidar com essa restrição financeira?
Mano, eu não concordo com quem fala que tem que mudar tudo drasticamente, fazer vários sacrifícios ao mesmo tempo. Você pode até conseguir por uma semana, mas depois vai desistir. Tem que ir ajustando aos poucos. Eu fiquei um ano sem sair de casa com os amigos para festas (isso em 2016, bem antes da pandemia), mas não foi de uma hora para a outra. Primeiro, eu saía um final de semana sim, outro não. Depois, um final de semana só, até parar total e só chamar os amigos em casa.

Continua após a publicidade

E, mesmo assim, chega uma hora que não tem mais o que cortar, porque a gente precisa de umas cervejinhas às vezes. Aí é a hora de aumentar a renda.

3. Quais suas dicas para quem é iniciante e deseja ingressar na bolsa de valores?
Se estamos falando de bolsa de valores, eu vou pressupor que essa pessoa já tem uma reserva de emergência, porque se não tiver, a dica é: tenha uma reserva de emergência antes de começar a investir na bolsa. Para quem já tem, eu indico três passos.

Passo 1: Pesquise as empresas listadas e entenda o que elas fazem.
Todas as empresas que estão ali vendem um produto ou prestam um serviço. E o lucro da empresa vem disso aí. O Itaú, por exemplo, se você tem uma conta nele sabe dizer se o banco é bom, se trata bem os clientes. Isso é importante, porque assim você sabe que outras pessoas também gostam do Itaú e vão continuar abrindo conta nele.

Entender se o produto ou serviço é acessível e de qualidade te dá uma ideia de se a empresa é boa e vai lucrar mais no futuro. Porque eu falo isso? As pessoas entram no site, colocam o código e esquecem que tem um produto, fornecedores, funcionários, um papel na sociedade que essas empresas desempenham e quando você compra uma ação, você faz parte disso tudo. Você se torna sócio dessa cadeia de valor.

Passo 2: Compre ações que são essenciais para a sociedade.
A gente está vivendo aí um período de crise que ajuda a entender bem isso. Não importa quão ruim chegue a situação, existem coisas que todo mundo precisa. Comida, água, energia elétrica. Essas empresas estão menos suscetíveis a ter problemas sérios, porque no pior cenário econômico do Brasil, as pessoas ainda vão precisar desses serviços. Então é bom começar com essa segurança.

Passo 3: Não gaste muito, comece com pouco
Use corretoras de taxa zero, transfira o valor por pix, tem muitas opções para pesquisar e não precisa pagar taxa por nada disso. Não é para gastar, é para lucrar. E quando for comprar as ações, comece aos poucos. Compre uma única ação para conhecer a oscilação do mercado. Se perder os 10 reais logo na primeira vez, não vai fazer tanta falta. Não pode cair no risco de desesperar na primeira queda e querer vender tudo. Investimento é foco no longo prazo.

Continua após a publicidade
Publicidade