Continua após publicidade

Como organizar melhor o fluxo do seu dinheiro 

Este trecho do livro "Como Ficar Rico", best-seller do New York Times, explica como começar a ajustar seus gastos de modo mais consciente

Por Sofia Kercher
Atualizado em 2 abr 2024, 18h32 - Publicado em 1 abr 2024, 16h33

A

maneira mais fácil de enriquecer é receber uma herança. A segunda mais fácil é por meio de conhecimento e disciplina”. A frase é de Seth Godin, fundador de uma das primeiras empresas de marketing online dos Estados Unidos e autor do livro “Isso é marketing”, best-seller do New York Times. 

No Brasil, um estudo do banco suíço UBS mostrou que 137 pessoas se tornaram bilionárias em 2023 — 53 delas por meio da famosa profissão herdeiro. Em outras palavras: a não ser que você faça parte desses 0,00003% da população, a saúde e prosperidade financeira só poderão acontecer por meio da segunda opção de Godin.

Na tentativa de estabelecer um caminho claro, objetivo e aplicável para o tão cobiçado objetivo, nasce o livro (e, posteriormente, a série da Netflix) “Como Ficar Rico: Sem culpa. Sem Desculpas. Sem Enrolações. Um programa de seis semanas que funciona”, escrito pelo especialista em finanças Ramit Sethi.

A ideia do autor não é trazer (mais) culpa aos gastos não-planejados, muito menos fazer com que o leitor contabilize cada centavo que desembolsar. O sistema de Sethi dura seis semanas e gira em torno da organização de prioridades e corte de custos desnecessários. 

Continua após a publicidade

Por meio de exemplos práticos, Ramit ensina o leitor a automatizar pagamentos e investimentos, quitar dívidas, fazer aplicações e negociações de salário e outros benefícios; além de dar conselhos sobre casamentos, crédito estudantil, compra de imóveis e outras questões que permeiam a vida adulta.

O método de Ramit o rendeu o título de “mago da riqueza” pela Forbes e “Novo Guru” pela Fortune. No trecho a seguir, ele traz alguns parâmetros para começar a gastar e organizar suas finanças de modo mais consciente. Confira.

-
(Arte/VOCÊ S/A)

Página 195- Organize o fluxo do seu dinheiro

Agora é hora de conectar suas contas e agendar os pagamentos e as transferências automáticas. Quando entrar no aplicativo, site ou mesmo no caixa eletrônico do seu banco, você deve encontrar as opções de “transferências” e “pagamentos”.

Uma coisa que você deve fazer com atenção é escolher as melhores datas para o vencimento das suas contas. É um passo muito importante, mas com frequência negligenciado. Se você agendar pagamentos para datas aleatórias, vai acabar tendo mais trabalho e pode se confundir. Por exemplo, se sua conta de gás vence dia 2, a de energia vence dia 20 e seu salário entra dia 30, como vai ser?

A forma mais fácil de evitar isso é colocar todas as contas para vencerem no mesmo dia ou em dias próximos. Para isso, liste tudo que você tem a pagar e ligue para as empresas. 

Continua após a publicidade

Algumas oferecem esse serviço também pelo site ou aplicativo. A maioria vai levar só cinco minutos para resolver.

Pode haver alguns meses de cobranças irregulares enquanto as coisas estiverem se ajustando, mas tudo vai ficar mais tranquilo depois disso. Se você receber no início do mês, sugiro pedir que todas as suas contas tenham vencimento nesse período também. Ligue e diga o seguinte: “Olá, minha conta está com vencimento para o dia 17 e eu gostaria de trocar para o dia tal.” (Peça o dia que for mais conveniente para você.)

Agora que todos os vencimentos estão juntos, é hora de configurar as transferências. Aqui está o método para organizar seu Fluxo Automático de Dinheiro, supondo que você receba seu salário no primeiro dia útil do mês.

No 1o dia útil de cada mês, sua remuneração líquida é depositada na sua conta-corrente ou conta-salário. Caso você tenha plano de previdência empresarial, esse valor já foi descontado na folha e direcionado para o fundo. Lembre-se: você está tratando a conta-corrente como a caixa de entrada do e-mail – tudo passa por ali antes de ser redirecionado para o local adequado. Observação: na primeira vez que fizer isso, deixe certa quantia de folga na conta-corrente, por precaução. Você pode sacar esse dinheiro após alguns meses se não usá-lo.

Registre uma chave PIX em cada conta, incluindo a de investimentos caso seja em outra instituição, e favorite-as na sua conta-corrente. Agende transferências automáticas da sua conta-corrente para sua conta de investimentos (caso seja em outra instituição) no dia 5 de cada mês. Esperar até essa data lhe dará um pouco de flexibilidade.

Continua após a publicidade

Se, por algum motivo, não receber o salário no primeiro dia útil do mês, você tem quatro dias para corrigir as coisas ou suspender a transferência daquele mês. Para definir a quantia a ser transferida, use a porcentagem de seu salário que você separou para investimentos diversos no Plano Consciente de Gastos – em geral, entre 5% e 10%. Se não puder investir tudo agora, não se preocupe. Configure uma transferência automática de 5 reais, apenas para provar que funciona. Quando vir que está tudo funcionando, será bem fácil aumentar o valor.

Ao agendar as transferências automáticas para a conta de investimentos, lembre-se de incluir o valor a investir para sua aposentadoria. Recorra ao Plano Consciente de Gastos para calcular a quantia. O ideal é que seja cerca de 10% da sua remuneração líquida menos o valor que você paga ao plano de previdência privada empresarial.

Ao agendar as transferências automáticas para a conta de investimentos, lembre-se de incluir o valor a investir para sua aposentadoria.

Coloque a fatura (integral) do cartão de crédito e quaisquer outras contas em débito automático para o dia 7 de cada mês ou para o mais próximo disso que a administradora do cartão permitir. Algumas, como de gás e luz, talvez precisem de algum número de registro, que você encontrará em qualquer conta daquele serviço. (Se você anda pagando contas com cheque, por favor, entenda que o homem já descobriu o fogo e os motores a combustão.)

Se tiver dívidas no cartão e não puder pagar as faturas por inteiro, não se preocupe. Você ainda pode configurar um pagamento automático para o mínimo mensal ou qualquer outra quantia de sua escolha.

Continua após a publicidade

Se houver algum pagamento que você possa fazer no cartão de crédito sem pagar taxas, faça para obter pontos.

Nesse caso, você pode criar um lembrete recorrente em aplicativos ou sites de gerenciamento de tarefas. No Brasil, é possível recorrer ao boleto eletrônico (DDA). 

O aplicativo avisa quando o boleto for gerado e então basta agendar o pagamento. É possível que algum pagamento não possa ser feito sequer por conta-corrente. Por exemplo, se a proprietária do seu apartamento for uma velhinha que só aceita dinheiro vivo, ela talvez não esteja muito aberta a mudanças. Se liga, hein, dona Gertrudes.

-
(Arte/VOCÊ S/A)

Se for preciso, você pode automatizar pagamentos (aqueles que não puder pagar no cartão ou diretamente na conta-corrente) usando o recurso de transferências automáticas, desde que seja gratuito. A maioria das instituições já permite também o pix recorrente. Mas lembre-se de agendar isso com antecedência.

-
(Arte/VOCÊ S/A)
-
(Arte/VOCÊ S/A)

A propósito, não se esqueça de dar uma olhada na fatura do seu cartão quando recebê-la, antes de o pagamento ser feito automaticamente. Isso pode ser útil caso em algum mês a fatura seja maior que o valor que você tiver na conta – assim você pode alterar a quantia a ser paga naquele mês.

Continua após a publicidade

Com os princípios de investimento automatizado ficou muito mais fácil juntar dinheiro. Antes eu ficava pensando quais ações comprar, em que quantidade, a que preço, etc. Gastava muita energia mental nisso e mesmo assim ficava para trás. Sem falar que nos últimos oito anos a rentabilidade da conta automática deu de dez a zero em outra conta que administro manualmente.

Com os princípios de investimento automatizado ficou muito mais fácil juntar dinheiro. Antes eu ficava pensando quais ações comprar, em que quantidade, a que preço, etc. Gastava muita energia mental nisso e mesmo assim ficava para trás. Sem falar que nos últimos oito anos a rentabilidade da conta automática deu de dez a zero em outra conta que administro manualmente.

Ryan Lyett (38)

Clique aqui para comprar o livro na Amazon.

-

Compartilhe essa matéria via:

 

 

Publicidade