Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como usar os programas de fidelidade

Se bem utilizados, pontos podem servir para pagar contas, obter descontos em serviços e até trocar o carro usado por outro zero-quilômetro

Por Eliane Quinalia Atualizado em 17 dez 2019, 15h17 - Publicado em 14 jul 2017, 05h00

Foi-se o tempo em que a única vantagem dos programas de fidelidade era a conversão de pontos em milhas aéreas. Agora, mais do que resgate de passagens, os pontos podem ser trocados por (quase) tudo. A lista vai longe. É possível realizar recargas de celular, encher o tanque do carro, comer em bons restaurantes, pagar contas de água, luz e telefone e até, imagine só, sair com um carro zero da concessionária. Dotz, In Mais, Grupo LTM, Multiplus, Netpoints, Smiles e Tudo Azul são algumas das empresas que investem na variedade para atrair clientes. “Não é preciso depender só de viagens ou do cartão de crédito para juntar pontos. Existem outras formas de acumulá-los, em supermercados, lojas online e serviços. A ideia é que o consumidor ganhe em todas as atividades que faz no dia a dia”, diz Roberto Medeiros, presidente da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização, de São Paulo. Mas, para criar uma estratégia vantajosa com seus pontos, é preciso conhecer as alternativas. Com a ajuda de Fábio Gallo Garcia, professor de finanças na Fundação Getulio Vargas de São Paulo, VOCÊ S/A elaborou um manual com dez opções para transformar gastos em ganhos e otimizar seu orçamento em tempos de crise.

1. Combustível
Quem tem carro pode resgatar os pontos prestes a expirar em postos de combustíveis. A opção é oferecida por Multiplus, Smiles, Netpoints e Dotz para as redes de postos Ipiranga, Shell e Ale. Na Smiles, com 6 000 pontos é possível obter um crédito de 90 reais na rede Shell. Já na Multiplus o mesmo crédito de 90 reais consome menos pontos, apenas 5 000 quando solicitado para postos Ipiranga. “É fundamental pesquisar antes as vantagens e os créditos oferecidos”, diz Fábio, da FGV.

2. Cosméticos
Dá para converter os pontos em produtos de marcas de cosméticos famosas, como Anna Pegova, L’Occitane, Natura Online e The Body Shop. Na Multiplus, a L’Occitane oferece 140 produtos, entre sabonetes, hidratantes e xampus, com resgates a partir dos 1 000 pontos. Já pelo programa Dotz as trocas podem ser realizadas a partir dos 4 588 DZ — os pontos da Dotz — para artigos da rede inglesa The Body Shop.

3. Dinheiro vivo
Programas como o In Mais já permitem a permuta de pontos por dinheiro em conta-corrente de bancos como Banpará, BRB e Caixa Econômica Federal ou por créditos no celular. Cada ponto acumulado vale 0,01 centavo. Os bancos “cobram”, em média, 350 pontos pela operação. Bom para quem precisa de dinheiro na mão. “Nos programas convencionais, o usuário leva oito meses para fazer o primeiro resgate. No In mais, o valor sai em até 180 dias”, diz Vinícius Rossignoli, gerente de marketing do In Mais.

4. Hotéis de luxo
Quem viaja bastante consegue fazer uma boa economia ao reverter pontos em diárias de hotéis. Dá para se hospedar pagando parte ou o total do valor a partir de 7 500 pontos. Hotéis das redes Hilton, Windsor, Le Club AccorHotels e Atlantica trabalham com fidelização pela Multiplus. No Rio, o Copacabana Palace cobra 71 500 milhas pela Smiles. Já em São Paulo os luxuosos Unique e Fasano cobram 89 500 e 115 000 milhas, respectivamente.

5. Cosméticos
A Multiplus, por exemplo, já permite a transferência de 5 000 pontos para o programa de fidelidade da rede Droga Raia para a compra de cosméticos.

6. Carro novo
O cartão de crédito Itaú oferece bandeira automotiva das marcas Fiat, Ford, Mitsubishi e Volkswagen. Já o Banco do Brasil tem a opção da Chevrolet. Nesta modalidade, os pontos são revertidos para os programas de recompensas das concessionárias. Neles, de 4% a 5% do valor gasto é convertido em pontos que valem 1 real cada um. Como a anuidade é alta (chega a 513 reais), é válido negociar com a operadora do cartão. É assim que o microempreendedor paulistano Thomas Antônio Baptista, de 54 anos, está sempre de carro novo. Em 20 anos, já trocou dez automóveis usando pontos — sua última aquisição, um Mobi zero-quilômetro, da Fiat, ocorreu há oito meses. A cada dois anos, ele junta 10 000 pontos, o suficiente para fazer a troca. “Nem ando com dinheiro. Concentro tudo, até o cafezinho, neste cartão. Assim, dou meu carro de entrada e pego outro, da linha popular, sem colocar 1 real do meu bolso. E, como fico só dois anos com o automóvel, nunca gasto com manutenção”, diz.

7. Contas do mês
Na Dotz, as contas de água, luz, gás e telefone no valor de até 300 reais cada podem ser pagas usando pontos do cartão. O limite para a modalidade é de três boletos por semana ou seis no mês. O pagamento é simples. Após se cadastrar no site e informar o código de barras, o valor da fatura e a data de vencimento, basta verificar a quantidade de pontos para concluir a operação e autorizar a transação.

8. Produtos de casa
Nos programas Multiplus, Smiles e Dotz, os eletroportáteis podem ser resgatados com valores a partir de 3 000 pontos, já eletrodomésticos precisam de 18 000 pontos iniciais. Uma dica é pesquisar o preço real do produto em comparadores de preços de lojas online antes de fazer o resgate.

Continua após a publicidade

9. Restaurantes
Para quem não abre mão de uma boa refeição fora de casa, existem bares e restaurantes que aceitam os pontos do cartão como uma espécie de voucher de desconto. Além de pizzarias e cervejarias, redes como Applebee’s, Outback Steak­house e America já aderiram ao programa de vantagens e oferecem descontos de até 100 reais em seu cardápio pela Dotz. O badalado Paris 6, em São Paulo, disponibiliza até um vale presente de 250 reais em troca de 26 290 pontos.

10. Itens esportivos
É possível resgatar tênis, roupas e até equipamentos esportivos. Na Multiplus, a Netshoes pede 17.800 pontos por uma raquete de tênis Wilson Pro Hybrid, enquanto isso, o Tudo Azul troca um tênis para corrida Asisc Quantum 360 por 30.624 pontos.

Fidelidade de alto rendimento

Defina seu objetivo
Antes de optar por um programa, determine qual é a sua meta. Se você deseja um carro, aposte em um cartão automotivo, por exemplo. atualmente, as principais operadoras de cartões de crédito do país permitem, sem custo, troca de pontos para programas de fidelidade. lembre-se, porém, de verificar com a instituição bancária quem são exatamente os seus parceiros.

Escolha o cartão certo
Veja o valor de conversão e o limite máximo de transferência do cartão de crédito que pretende controlar. O bradesco, por exemplo, só deixa transferir 3 000 pontos por vez. já o itaú permite 5 000 pontos por vez.

Negocie e pesquise

Barganhe as anuidades com as administradoras do cartão. Também é importante pesquisar o valor do que se pretende trocar no mercado convencional. Isso evita torrar pontos à toa.

Concentre gastos

Pague tudo num único cartão. Se puder, forneça adicionais a membros da família, assim você acumula um número maior de pontos.

Continua após a publicidade
Publicidade