“A saúde mental não pode mais ficar nas sombras”

Adam Leonard, da área de desenvolvimento de pessoas do Google e especialista em liderança, explica por que a segurança psicológica é importante nas empresas

Ter a tranquilidade para agir de acordo com as próprias ideias e valores sem temer represálias é o que resume a segurança psicológica. O conceito começou a ganhar a atenção das empresas nos últimos anos muito por conta do Projeto Aristóteles, do Google, no qual descobriu-se que as equipes com melhores performances eram aquelas em que os funcionários se sentiam livres para ser quem são.

Quem acompanhou esse projeto de perto foi Adam Leonard, atualmente parte da equipe da The Google School for Leaders, área de desenvolvimento de liderança da multinacional. Autor de livros como Integral Life Practice, Adam participará do Kenoby Talks, semana de eventos gratuitos organizada pela startup de recrutamento e seleção Kenoby, que acontecerá de 15 a 17/9 e discutirá temas de gestão de pessoas.

Em entrevista para VOCÊ RH, Adam explica a importância da segurança psicológica e dos cuidados com a saúde mental dos funcionários. (As opiniões de Adam não refletem, necessariamente, as opiniões do Google).

O Google foi um dos pioneiros na discussão da segurança psicológica no ambiente de trabalho por meio do projeto Aristóteles. Como você vê esse problema sendo tratado pelas empresas hoje?

O termo “segurança psicológica” foi usado pela primeira vez em 1965 por Ed Schein e Warren Bennis e, em seguida, estudado academicamente a partir de 1999 pela professora de Harvard Amy Edmondson. Então, em 2016, o jornal The New York Times publicou um artigo discutindo a pesquisa do Google que descobriu que a segurança psicológica é o maior fator na eficácia da equipe. Desde então, mais líderes e organizações reconhecem o valor da segurança psicológica e estão mais curiosos sobre como fortalecê-la em suas culturas de trabalho. Estou muito feliz em ver como o Google ajudou a popularizar a prática da segurança psicológica em todo o mundo.

Quais são as vantagens de ter ambientes psicologicamente seguros nas organizações?

Se você faz parte de uma equipe com alta segurança psicológica, se sentirá mais feliz e terá mais prazer em trabalhar, o que também leva a um maior engajamento, produtividade e, em última análise, a melhores resultados de negócios. A segurança psicológica permite que as pessoas tragam seu eu completo e único para o trabalho, assumam riscos interpessoais, compartilhem suas perspectivas livremente e sejam respeitadas e valorizadas. É difícil ser inovador sem segurança psicológica porque o processo criativo envolve uma série de falhas e as pessoas não correrão os riscos necessários a menos que se sintam seguras.

No Brasil, as empresas estão discutindo muito sobre saúde mental. Você acredita que a crise do coronavírus contribuiu para essa discussão? Essa questão será relevante no pós-crise?

Eu acho que a saúde mental tem sido um grande problema há muito tempo, mas muitas vezes escondida no mundo organizacional e não discutida tanto quanto deveria. O coronavírus criou condições tão difíceis que a saúde mental não pode mais ficar nas sombras. É bom falar sobre isso e as organizações estão lentamente oferecendo a seus funcionários mais recursos para lidar com problemas de saúde mental. Prevejo que essa tendência continuará após o vírus. Minha esperança é que as organizações também comecem a oferecer mais recursos e ferramentas de “psicologia positiva” para que os funcionários possam começar a lidar com sua saúde mental de forma proativa, antes que os principais problemas comecem a aparecer.

Pensando em liderança, quais são as competências mais importantes neste contexto de crise?

Inteligência emocional e complexidade de navegação são duas habilidades especialmente relevantes durante esta crise. Na Google School for Leaders, onde trabalho, costumamos usar a frase “profundamente humano”. Ajudamos os líderes a se tornarem mais vulneráveis, admitindo que não sabem todas as respostas, exibindo emoções mais autênticas e encontrando coragem para ter conversas difíceis. Líderes que sabem como gerar segurança psicológica em suas equipes e organização serão os mais bem-sucedidos durante esta crise e depois dela. Por quê? Porque as equipes com alta segurança psicológica se adaptam melhor às mudanças, tomam decisões com mais inteligência e superam tempos de incerteza, enquanto mantêm seu moral positivo.

Para ajudar a fazer isso, eu preparei uma breve avaliação de segurança psicológica traduzida para o português que os líderes e profissionais de RH no Brasil podem fazer gratuitamente neste site.  E assim que a avaliação for concluída, minha equipe enviará de volta os resultados junto com muitos recursos práticos sobre como cultivar a segurança psicológica em sua organização, todos traduzidos para o português pela primeira vez.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de VOCÊ RH? É só clicar aqui para ser nosso assinante.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: