Conheça o Masterchefe da empresa De Nadai

Inspirada nos programas culinários de sucesso, a empresa desenvolveu aulas por vídeo e quadruplicou o número de funcionários em treinamento

Para alimentar funcionários de outras empresas, a De Nadai mantém 2 500 pessoas espalhadas em 200 refeitórios, onde são preparadas 40 000 refeições diariamente. A qualidade dos pratos depende de mão de obra bem treinada. Até o final de 2016, a capacitação ficava por conta de um instrutor, que visitava um restaurante por semana, além de atender a chamados pontuais feitos pelas unidades.

Nesse ritmo, a De Nadai, com 40 anos de história, só conseguia preparar as equipes de um quarto dos refeitórios. Outro problema: o conhecimento era repassado apenas para os chefs, deixando de lado os demais profissionais. “Isso dificultava na hora de montarmos um plano de carreira para os auxiliares de cozinha, por exemplo”, afirma a gerente de recursos humanos da empresa, Luciane Lora. Entre julho e dezembro de 2016, a fornecedora de serviço formou 288 trabalhadores, registrando 720 horas de treinamento nesse período. “Muito pouco”, na avaliação da gerente de RH. Luciane pensou, então, em migrar as aulas presenciais para um programa por vídeo, com o qual conseguiria alcançar uma quantidade maior de pessoas. “Outra vantagem é que as videoaulas nos trariam a padronização do conhecimento que buscávamos”, diz a executiva, que convocou os departamentos de operações, compras, qualidade, segurança, tecnologia e planejamento para estruturar o projeto e o conteúdo das aulas.

A SOLUÇÃO

A quantidade de programas de culinária transmitidos atualmente na grade dos canais de televisão não deixava dúvidas para Luciane de que seria possível capacitar as equipes dos restaurantes por meio de vídeo. Inicialmente, foram gravadas 40 aulas, com cerca de 7 minutos cada uma, focando temas como segurança do trabalho, qualidade, manipulação dos ingredientes, preparação dos alimentos, receitas e apresentação do bufê. Luciane explica que a De Nadai preferiu usar os próprios empregados das cozinhas como “atores”, de forma a garantir maior proximidade do assunto com os demais trabalhadores e conferir realismo ao treinamento.

A primeira temporada do programa de e-learning da companhia foi lançado em abril de 2017. “Os vídeos são mandatórios e não se diferenciam conforme a atividade que o funcionário exerce, o que permite que qualquer um aprenda técnicas de culinária e possa pleitear, no futuro, uma vaga de chef  ”, afirma a gerente de RH. As aulas estão disponíveis em uma plataforma digital e podem ser vistas durante o expediente, tanto pelo computador como pelo celular. “As pessoas têm liberdade para decidir o horário em que vão assistir aos vídeos; e ao mesmo tempo a plataforma possibilita aos gestores acompanhar e monitorar os acessos de suas equipes.” Ao final de cada módulo, o empregado passa por uma avaliação, por meio da qual a área de operações mensura o conhecimento absorvido e capta oportunidades de melhoria do treinamento.

O RESULTADO

Até o final de 2017, a De Nadai capacitou 1 260 empregados, totalizando 5 870 horas de treinamento — quase 5 horas por pessoa. Segundo a gerente de recursos humanos Luciane Lora, 100% dos alunos acertaram as questões da avaliação realizada ao final de cada módulo. “A informação passou a circular de forma mais rápida por todos os níveis da companhia, alcançando os funcionários onde quer que eles estejam”, diz. Além disso, a executiva acredita que tenha aumentado a motivação das equipes, com as pessoas “sentindo-se prestigiadas e incluídas”. “Estamos medindo o percentual de movimentações internas para conferir um provável avanço. Mas é certo que hoje, quando temos um processo de seleção e olhamos para dentro de casa, encontramos profissionais mais bem capacitados para assumir uma vaga”, afirma Luciane, destacando que o e-learning trouxe benefícios tanto para os empregados quanto para as empresas atendidas pela De Nadai. “Recebemos feedbacks positivos de nossos clientes, um sinal de que estamos alcançando a padronização dos serviços que perseguíamos.”

Para 2018, a meta é estender as videoaulas para toda a companhia. Dessa forma, já estão sendo produzidos 42 episódios para a segunda temporada, marcada para começar no primeiro semestre do ano. Os temas voltados para segurança no trabalho e controle de qualidade dos insumos continuam, e devem entrar na programação assuntos voltados para compliance e para a própria corporação.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: