Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Não dá para aprender inglês depois de adulto? Entenda esse e outros mitos

Além de não ser totalmente verdadeiras, algumas crenças se tornam barreiras para o aprendizado de outro idioma.

Por Alberto Costa, da Cambridge Assessment English Atualizado em 23 nov 2020, 19h55 - Publicado em 24 nov 2020, 12h00

Para muitas pessoas, aprender outro idioma soa como um bicho de sete cabeças, ainda mais quando a língua em questão é o inglês. Vários podem ser os fatores que levam a essa condição psicológica e um bastante comum é a frustração causada por métodos que prometem um aprendizado imediato e praticamente milagroso, mas não se sustentam.

E essas experiências trazem consigo uma série de mitos que acabam espalhadas como se fossem verdades absolutas e que podem construir barreiras para alguns indivíduos. Confira abaixo com quais desses argumentos você já deparou e desmistifique de uma vez por todas seu entendimento!

Mas depois de adulto é muito difícil aprender!

Mito! Não há idade certa para aprender inglês ou qualquer outro novo idioma. Assim como inúmeras habilidades que precisam ser desenvolvidas ao longo do tempo, o aprendizado da língua não é diferente e também precisa de calma, treino e persistência.

É verdade que os pequenos têm menos dificuldade com o aprendizado do idioma, principalmente na habilidade da pronúncia. Isso por que, dependendo da idade, a criança ainda não tem os vícios de linguagem do idioma materno e nem a parte léxica bem formada em relação ao português ou ao inglês. Sendo assim, a facilidade para reproduzir o idioma é maior e também o medo ou vergonha de errar não são características tão fortes quanto a presente nos adultos em função da cobrança pela perfeição.

Mas, isso não quer dizer que quem começa os estudos na fase adulta não consiga alcançar seu objetivo com bastante dedicação e com parte desse olhar de que na evolução possivelmente haverá momentos de erro a serem superados.

Continua após a publicidade
  • Professores nativos são melhores.

    100% mito! O ensino de inglês, e de qualquer outra disciplina linguística, não é sobre apenas saber o idioma em um nível independente do Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR), mas principalmente sobre dominar a técnica e a metodologia do ensino.

    Em sala de aula o importante é ser o fio condutor entre o conteúdo que se tem a aprender e o aluno. Ou seja, professores brasileiros, indianos, espanhóis, australianos ou ingleses, desde que sejam devidamente capacitados para lecionarem o idioma, serão bons iguais.

    Você só vai aprender inglês de verdade se morar fora

    Mito, porém, há uma grande vantagem em se morar em países onde a língua nativa é o inglês: o tempo de exposição ao idioma e as diferentes situações nas quais você vai precisar usá-lo. É sempre mais efetivo aprender um vocabulário dentro de um contexto e isso torna o processo mais natural.

     Apesar disso, com a evolução dos métodos de ensino e o advento da internet, aliado às inúmeras ferramentas à nossa disposição atualmente, é mito que só aprende inglês quem sai do país. Além do mais, existem relatos de milhares de pessoas que são fluentes em inglês e estiveram fora do Brasil.

    Não deixe que essas (in)verdades populares se tornem um muro que te separa do seu objetivo. Lembre-se que o aprendizado leva tempo e é cheio de altos e baixos. Mas, que o final sempre é gratificante e vale muito a pena.

    Continua após a publicidade
    Publicidade